Crimes Sexuais

Ator Aziz Ansari acusado de forçar mulher a atos sexuais

367

Ator e comediante, galardoado com um Globo de Ouro, terá forçado mulher com quem tinha saído a atos sexuais, apesar de a alegada vítima mostrar que queria parar. "Foi a pior noite da minha vida", diz.

O ator e comediante Aziz Ansari, galardoado este ano com Globo de Ouro e estrela da série Master of None, está a ser acusado por uma fotógrafa de 23 anos de a forçar a atos sexuais, apesar de a mulher lhe dizer claramente para parar. “Foi a pior noite da minha vida”, diz a mulher, que aparece identificada com o nome falso “Grace” e que decidiu falar depois de ver Ansari a usar, nos Globos de Ouro, opin de apoio ao movimento #MeToo, de luta contra o assédio sexual.

“Saí para jantar com Aziz Ansari. Essa tornou-se a pior noite da minha vida” é o título da reportagem da revista Babe. Foi no ano passado que Aziz e “Grace” se conheceram, numa festa por ocasião dos prémios Emmy. Trocaram números de telefone e ao longo da semana que se seguiu trocaram mensagens eletrónicas que culminaram com um encontro, um jantar. Foi em setembro, conta a alegada vítima à revista Babe.

Durante o jantar, Grace ficou com a clara impressão de que Ansari estava com muita pressa para comer rapidamente, pagar e sair dali. “Pediu a conta e, depois, bla bla bla, saímos dali para fora”.

Os problemas começaram logo depois, quando os dois se dirigiram para o apartamento do ator. “Subitamente, a mão dele estava no meu peito”, diz Grace, que garante ter indicado de várias formas que estava desconfortável. “Demos o primeiro beijo e passado alguns minutos ele foi a correr buscar um preservativo”, apesar de a fotógrafa de 23 anos dizer que não queria ter sexo. Mas Ansari terá metido os dedos na boca dela, até à garganta e teve um ato sexual que a alegada vítima não descreve em pormenor.

A certa altura, Ansari terá tentado mover a fotógrafa para que esta fizesse um ato sexual — “tentou levar a minha mão até ao pénis dele umas cinco ou sete vezes” — mas “Grace” disse-lhe: “não quero sentir-me forçada”. Ansari continuou, na versão contada por “Grace”, a enfiar os dedos na garganta da fotógrafa e a perguntar-lhe “onde queres que eu te f***?”.

Foi aí que Grace se libertou e foi para a casa de banho, onde esteve cinco minutos a recuperar a compostura e a lavar a cara com água várias vezes. Quando voltou para perto de Ansari, ele perguntou-lhe “estás bem?”, o que fez com que ela se acalmasse e se sentasse no chão, ao lado do sofá onde estava o ator. Quando a fotógrafa achava que ele iria acariciá-la no cabelo ou nas costas, para a acalmar, ele pediu-lhe para se virar para ele e apontou para o pénis, indicando-lhe gestualmente que fizesse sexo oral, o que ela recusou. Ansari responderia com beijos que a mulher recorda como forçados e agressivos.

A tensão acabaria por acalmar e os dois estiveram a ver um episódio da série Seinfeld. Mas foi aí que “Grace” se apercebeu: “Bateu-me muito forte pensar que tinha acabado de ser violada. Fiquei muito emocionada quando estávamos ali sentados. Toda aquela experiência foi horrível”. A mulher acabaria por apanhar um Uber até casa e foi a viagem toda a chorar — no dia seguinte sentiu-se “deprimida”.

A reportagem da Babe não foi publicada sem que os jornalistas questionassem os representantes de Aziz Ansari sobre este assunto, mas acabaram por não receber resposta.

Segundo a revista, que viu o telemóvel de “Grace” e confirmou que a mensagem era de um número publicamente associado a Aziz Ansari, o ator contactou a mulher no seguinte, dizendo que a noite tinha sido “divertida”. Mas a fotógrafa retorquiu: “A noite de ontem pode ter sido divertida para ti, mas não foi para mim. Ignoraste as minhas indicações não-verbais, continuaste com avanços [sexuais]”.

O ator respondeu que tinha ficado muito “triste” por ouvir o que “Grace” dizia e lamentou ter “lido mal” o que se passou, pedindo desculpa à fotógrafa. A mulher viu a cerimónia dos Globos de Ouro e diz que foi “doloroso” vê-lo a aceitar o prémio que recebeu usando o pin que simboliza a luta contra os crimes sexuais.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: ecaetano@observador.pt
10 de junho

A função social da esquerda /premium

Rui Ramos

Talvez a direita, noutros tempos, tenha tido o papel de nos lembrar que não somos todos iguais. As reacções ao discurso de João Miguel Tavares sugerem que essa função social é hoje da esquerda.

10 de junho

A função social da esquerda /premium

Rui Ramos

Talvez a direita, noutros tempos, tenha tido o papel de nos lembrar que não somos todos iguais. As reacções ao discurso de João Miguel Tavares sugerem que essa função social é hoje da esquerda.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)