O Presidente da Autoridade Palestiniana, Mahmoud Abbas, acusou neste domingo Israel de ter acabado com os acordos de Oslo, assinados em 1993 entre o Governo israelita e o então líder da OLP, Yasser Arafat. Os acordos de Oslo visam a paz na Cisjordânia e a autonomia palestiniana.

“Não existem mais os acordos de Oslo”, afirmou Mahmoud Abbas, em reunião do conselho central da Organização da Libertação da Palestina (OLP), destinada a analisar o reconhecimento pelos Estados Unidos de Jerusalém como capital de Israel. Mahmoud Abbas acrescentou que esta reunião serve também para tomar decisões quando ao futuro e criticou o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

“Tenha vergonha”, disse, referindo-se a Trump, em alusão à política desenvolvida pelos norte-americanos para a paz no Médio Oriente e sobre a decisão de concretizar a mudança da embaixada norte-americana para Jerusalém. “Podemos dizer a Donald Trump que não iremos aceitar o seu plano de paz para o Médio Oriente, o negócio do século transformou-se na afronta do século”, disse Abbas.

No discurso no órgão da OLP, Mahmoud Abbas afirmou que os palestinianos continuam empenhados nas negociações, mas frisou que Trump destruiu a sua credibilidade como um agente de paz no Médio Oriente. A OLP, organização política fundada em 1964, tem como objetivo desenvolver esforços para a independência da Palestina, que tem parte do território ocupado por Israel. Os acordos de Oslo, capital da Noruega, foram mediados pelo então Presidente dos Estados Unidos, Bill Clinton.