Rádio Observador

Tondela

Jovem ferida no incêndio de Tondela com “prognóstico favorável”

Vítima mais nova do incêndio em Vila Nova da Rainha, onde morreram oito pessoas, está internada no Hospital Dona Estefânia, em Lisboa. A sua situação é "estável", de acordo com o hospital.

NUNO ANDRÉ FERREIRA/LUSA

A jovem de 15 anos que conseguiu escapar do edifício da Associação Cultural, Recreativa e Humanitária de Vila Nova da Rainha (Tondela), onde um incêndio deflagrou na noite de sábado, está internada no Hospital Dona Estefânia, em Lisboa, “com um prognóstico favorável”.

A informação foi fornecida pelo próprio Hospital, que confirma que Lara Borges está internada na Unidade de Cuidados Intensivos. “Está estável, sedada e ventilada”, confirmou fonte do Dona Estefânia ao Observador.

Ao que tudo indica, Lara era a pessoa mais jovem que se encontrava dentro da Associação. À altura, como contou o Observador, participava no torneio de sueca, fazendo a vez do pai que só chegaria mais tarde.

A jovem de 15 anos conseguiu escapar do andar de cima do edifício, onde ficou encurralada juntamente com dezenas de pessoas. Saiu pelo próprio pé, mas a gravidade dos seus ferimentos fez com que fosse transportada de imediato de helicóptero para o Hospital em Lisboa.

Prognóstico reservado para dois feridos internados no Porto

Das seis vítimas do incêndio registado no sábado em Tondela, Viseu, que foram transportadas para unidades hospitalares do Porto, duas mantém-se com “prognóstico reservado” e quatro estão “clinicamente estabilizadas”, disseram esta segunda-feira fontes hospitalares.

Em declarações à Lusa, fonte das relações públicas do Hospital de São João informou esta segunda-feira que estão naquela unidade hospitalar quatro doentes internados na sequência do incêndio de Tondela, “três deles estão clinicamente estabilizados” e um quarto doente está com “prognóstico mais reservado”. Para o Hospital de São João foram encaminhados diretamente de Tondela três vítimas do incêndio e uma quarta vítima foi transferida no domingo do Centro Hospitalar do Porto.

A situação da quinta vítima, de 50 anos, e que está internada no Hospital da Prelada, do Porto, desde a manhã de domingo, “mantém-se inalterável”, disse fonte das relações públicas daquela unidade hospitalar. “O doente, com mais de 50 anos, está internado na Unidade de Queimados, com ventilação assistida, e o prognóstico mantém-se reservado” e a “equipa médica do Hospital da Prelada está a realizar todos os procedimentos necessários à melhor prestação de cuidados”, acrescentou a mesma fonte.

A sexta vítima do incêndio de Tondela que foi enviada para unidades hospitalares do Porto está internada nos Cuidados Intensivos do Hospital de Santo António e a situação da vítima é “estável”, informou, por seu turno, fonte desta unidade hospitalar.

O incêndio registado no sábado à noite, dia 13, e que deflagrou durante um jantar numa associação recreativa de Vila Nova da Rainha, concelho de Tondela, fez pelo menos oito mortos e 38 feridos, entre graves e ligeiros, de acordo com fonte do Ministério da Saúde.

Dos 38 feridos, nove já tinham tido alta hospitalar ao final da manhã de domingo.

Treze dos feridos do incêndio estavam domingo internados no hospital de Viseu, dois deles em cuidados intensivos.

Houve ainda 16 feridos graves enviados para outras unidades hospitalares: cinco para o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, para Lisboa foram encaminhados dois para o Santa Maria, dois para o São Francisco Xavier e um menor para o Dona Estefânia. Para o Porto foram enviados seis vítimas.

Atualizado com estado de saúde de outras vítimas do incêndio.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)