O primeiro-ministro, António Costa, disse esta segunda-feira esperar que seja possível “restabelecer a boa tradição” na Autoeuropa, uma “empresa modelo, onde o diálogo social sempre tem permitido ultrapassar problemas laborais”.

“A esperança que nós temos, o incentivo que temos dado a todas as partes, é que na Autoeuropa seja possível restabelecer a boa tradição que tem sido, aliás, uma imagem de marca da própria Autoeuropa como uma empresa modelo onde o diálogo social sempre tem permitido ultrapassar problemas laborais e onde tem contribuído muito para a melhoria da competitividade da empresa e para a qualidade do trabalho e da situação laboral” desta, afirmou António Costa.

Já na conferência, que encerrou, António Costa referiu que a “forma como centenas de empresas portuguesas que participam nesta fileira se envolvem e desempenham a sua atividade têm uma importância absolutamente crítica”.

Porque problemas em qualquer uma das construtoras ou uma má imagem criada por qualquer uma das empresas fornecedoras é o pior contributo que podemos dar para a ambição coletiva que temos de atrair um novo construtor”, considerou.

A Mobinov — Associação do Cluster Automóvel é uma iniciativa conjunta da Associação Automóvel de Portugal e da Associação de Fabricantes para a Indústria Automóvel.

Depois da rejeição pelos trabalhadores de dois pré-acordos sobre os novos horários negociados previamente com os representantes da Comissão de Trabalhadores, a administração da Autoeuropa anunciou a imposição de um novo horário transitório, para vigorar no primeiro semestre de 2018, e a intenção de dialogar com a Comissão de Trabalhadores (CT) no que respeita ao horário de laboração contínua, que deverá ser implementado em agosto, depois do período de férias.

O novo horário transitório, que entra em vigor nos últimos dias deste mês, com 17 turnos semanais, prevê o pagamento dos sábados a 100%, equivalente ao pagamento como trabalho extraordinário, acrescidos de mais 25%, caso sejam cumpridos os objetivos de produção trimestrais.

Os trabalhadores da Autoeuropa aprovaram em dezembro uma proposta para uma greve de dois dias, em 2 e 3 fevereiro. A CT e a administração têm novas reuniões sobre os novos horários marcadas para esta semana.