Ao abrigo da Lei nº.2/99, de 13 de Janeiro, publicamos o direito de resposta enviado pela Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) relativo ao artigo publicado do Observador “IURD: netos de Edir Macedo regressaram ao Brasil aliciados pelo dinheiro”:

“O Observador publicou um artigo intitulado “IURD: netos de Edir Macedo regressaram ao Brasil aliciados pelo dinheiro”, no qual é afirmado que os netos do Bispo Edir Macedo terão regressado ao Brasil aliciados pelo dinheiro e pelas promessas dos pais adotivos, que os terão contactado e pedido que voltassem.

Tudo isto é manifestamente falso.

As crianças referidas no artigo, ora adultos, não foram “aliciados” por Viviane e Júlio Freitas, nem tão-pouco pelo Bispo Romualdo e sua esposa, para que saíssem de casa e fossem viver com estes após atingirem a maioridade.

No que diz respeito a Fábio, foi o próprio que contactou o Bispo Romualdo e a sua esposa, Márcia, em busca de ajuda para tratar o seu problema de toxicodependência. O Bispo e a sua esposa limitaram-se a aceder ao pedido de ajuda de um jovem maltratado pela vida e com um vício do qual não se conseguia curar, acolhendo-o de braços abertos em sua casa.

Por sua vez, Vera e Luís, após atingirem a maioridade, decidiram, de livre e espontânea vontade, sair de casa e procuraram o auxílio de Viviane e Júlio Freitas, por quem nutriam um grande carinho e que prontamente aceitaram recebê-los.

Nenhuma das crianças, ora jovens adultos, foi “aliciada” ou “convencida” ao que quer que seja. Sempre tomaram as suas decisões, em consciência, e fizeram as suas próprias escolhas.

Repudiamos todas as imputações e falsas afirmações que o artigo lança sobre a nossa Igreja, exigindo a reposição da verdade, para salvaguarda da reputação de todos aqueles que partilham a nossa fé.”