A fábrica da PSA, grupo das marcas Citroen, Peugeot e Opel, em Mangualde produziu 53.600 veículos em 2017, num crescimento de 7,8% em relação a 2016, e prepara abertura do terceiro turno, foi divulgado esta quarta-feira.

Em comunicado, o grupo liderado por Carlos Tavares indicou tratar-se do “melhor desempenho desta unidade de produção dos últimos quatro anos” e que o aumento de produção levará à criação de mais 225 postos de trabalho, a partir de abril.

A criação de mais um turno estava previsto apenas para final de 2018, no âmbito do lançamento do novo modelo, mas o “sucesso do Groupe PSA no segmento dos veículos comerciais ligeiros, faz com que a terceira equipa se antecipe já com as atuais gerações do Peugeot Partner e do Citroën Berlingo, para os quais Mangualde assegura o fim de série desta geração”.

O processo de recrutamento já está a ser realizado, lê-se ainda no comunicado, no qual se acrescenta que a laboração em três turnos está garantida até ao final de produção da geração atual dos veículos, prevista para outubro. “A sua continuação dependerá essencialmente da resposta dos mercados ao novo modelo”, concluiu-se.

Em fevereiro do ano passado, o diretor da fábrica, José Maria Castro Covello, perspetivava à agência Lusa que se deveria criar uma terceira equipa de trabalhadores em 2019, que poderá incluir entre 250 a 300 pessoas.

“As primeiras expectativas para o carro novo (denominado K9) são de aumentar a produção até aos 75 mil carros, o que nos obriga a montar uma terceira equipa (de trabalhadores), que é o que todos esperamos”, afirmava na altura. Segundo disse o responsável, na mesma altura, na fábrica de Mangualde, no distrito de Viseu, trabalham cerca de 725 pessoas.