Um tribunal militar israelita decidiu esta quarta-feira manter em detenção até ao seu julgamento, cuja data se desconhece, a adolescente Ahed Tamimi, ícone para os palestinianos do envolvimento contra a ocupação israelita.

A decisão divulgada por um juiz militar na prisão de Ofer, na Cisjordânia ocupada, significa que Tamimi, 16 anos, filmada o mês passado a bater em soldados, pode ficar detida durante meses.

O juiz militar considerou que “a gravidade dos factos de que é acusada não oferece alternativa à detenção (…) até ao final do processo”.

A rapariga de 16 anos foi filmada em dezembro junto à sua casa na Cisjordânia ocupada a empurrar e agredir soldados israelitas que a afastaram sem retaliar. Tamimi afirmou que os militares israelitas disparam uma bala de borracha que atingiu um primo e o deixou temporariamente em coma.

O incidente foi visto como humilhante para os militares e causou indignação em Israel. No início de janeiro a adolescente foi acusada, nomeadamente por atacar soldados e, segundo os militares, arrisca 14 anos de prisão.