Porque um futuro sem bebés não tem futuro, todos os bebés que nascerem em 2018 vão receber um conjunto de produtos babyWell’s, e as mães também serão mimadas com uma oferta.

“Como mãe de primeira viagem de uma bebé de 17 meses, considero esta iniciativa da Well’s excelente e muito pertinente. Para além de promover e inspirar a natalidade, é também uma iniciativa pioneira numa temática onde tanto há por fazer”, partilha Ana Marques, para quem “mimar os bebés e as mães num momento crucial como o nascimento de um bebé, é uma iniciativa por um mundo melhor”.

Mariana d’Avillez, mãe de sete filhos, uma ainda bebé, também considera que “estas iniciativas são sempre bem-vindas”. “Qualquer mãe gosta de se sentir mimada, seja esse mimo para si ou para o seu bebé. É um gesto que sinaliza que este momento tão importante para a sua família também é reconhecido pela sociedade”.

Receber mimos quando nasce um bebé

Assumindo a natalidade como tema central em 2018, a Well’s vai oferecer a todos os bebés que nasçam este ano um creme de corpo, um champô, uma pasta de água, toalhitas, uma tesoura e cotonetes, e ainda uma oferta especial para as mães.

“Considero que esta iniciativa é de louvar porque quando nasce um bebé são muitos os produtos de que precisamos para responder às suas necessidades básicas”, afirma Ana Custódio, mãe de três filhos, um deles bebé de seis meses. “Quando temos vários filhos todo o enxoval e os produtos de puericultura podem e devem ser reutilizados, mas estes produtos que a Well’s está a oferecer são essenciais e têm sempre que ser adquiridos de novo”, acrescenta.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

As três mães gostavam muito de ter sido brindadas com estas ofertas na altura do nascimento dos filhos. “Teria ficado muito feliz certamente e seria uma oportunidade de experimentar estes novos produtos”, comenta Ana Custódio. Também Ana Marques partilha que teria ficado “muito satisfeita” e sentir-se-ia “acarinhada”. “Teria representado uma atenção especial num momento em que estamos num misto entre uma felicidade enorme e um confronto com o desconhecido. Teria reagido com grande surpresa pois não é uma iniciativa comum, não costuma haver esta consideração/preocupação pelos bebés e, principalmente, pelas mães que, na altura do nascimento do bebé, ficam sempre em segundo plano”, considera.

Além de representarem “uma atenção, um carinho, uma preocupação individualizada com o bebé”, Ana Marques destaca o “grande valor prático do pack de oferta, uma vez que todos os produtos são de uso diário para o bebé”, logo são “menos um custo” para os pais, na altura do nascimento do bebé, e, por isso, “uma ajuda valiosa nesta primeira etapa”.

Mariana d’Avillez, autora do livro “Mãe de Sete, o livro que não tenho tempo para escrever!”, recorda que, quando nasceram os quatro filhos mais velhos – “nos anos AC (Antes da Crise)” – todas as mães eram brindadas no hospital com um cabaz de amostras, ofertas e cupões que podiam preencher para receber ainda mais brindes. “Quando nasceu o Pedro, em 2011, acho que já só teve direito a uma fralda e uma amostra de toalhitas. Felizmente tinha guardado muitos dos artigos dos outros. Os muda fraldas impermeáveis, por exemplo, continuam em uso agora com a Teresa! Estes brindes, para além de nos darem a conhecer produtos e marcas que talvez não conhecêssemos, permitem-nos ter cremes e produtos de limpeza em tamanho de viagem, que dão mais jeito para andar no saco do bebé ou para ter em casa dos avós ou até no carro para as emergências em que somos apanhadas desprevenidas. Mas permitem, sobretudo, ficar a conhecer produtos que talvez hesitássemos em comprar sem comprovar que são mesmo úteis e importantes para a higiene dos nossos bebés”.

Uma marca amiga das famílias

No combate à baixa natalidade, a Well’s quer estar junto de todas as famílias que vão crescer em 2018 e Mariana d’Avillez admite que a nova campanha a faz “gostar ainda mais da marca”. “Lembra-me que é uma marca amiga das famílias e atenta às suas dificuldades”, refere a mãe do sétimo bebé. No mesmo sentido, Ana Marques considera que a campanha de promoção da natalidade “vai potenciar ainda mais a marca, tornando-a uma referência para todas as mães”, e elogia o momento da oferta, aquando do nascimento dos bebés, assim como os produtos de qualidade da marca a preços “bastante acessíveis”.

Ana Custódio também “dá os Parabéns à Well’s”. “É uma marca que respeito muito, na qual tenho muita confiança e da qual sou consumidora. Esta campanha só confirma a ideia que já tinha: é uma marca confiável e presente na vida dos portugueses”.

Combater a baixa natalidade

Em Portugal, cada mulher tem, em média, 1,2 filhos. Mas para uma sociedade ser sustentável, cada mulher deveria ter, em média, 2,1 filhos. Para contrariar esta realidade, a Well’s avança com a campanha de comemoração da natalidade e as três mães concordam com esta iniciativa que este tipo de iniciativas pode contribuir para aumentar a natalidade em Portugal.

“É muito importante a validação e reconhecimento, por parte da sociedade, da nossa vontade de fazer crescer a nossa família e estes brindes e mimos ajudam nesse sentido. Não só mimam os pais e os bebés como mandam uma mensagem à sociedade de que este é um problema importante que tem de ser abordado e resolvido em várias frentes”, frisa Mariana d’Avillez. A mãe de sete filhos admite que um cabaz no momento do nascimento de um filho “pode não ser suficientemente aliciante para um casal decidir ter mais um filho, mas se for depois acompanhado por mais ofertas e descontos em produtos de puericultura e saúde materno-infantil, é dado o recado de que a marca Well’s está do lado das famílias, para as ajudar a crescer em número e ao longo de todo o seu crescimento”.

“Na minha opinião, só o facto de as mães se sentirem acarinhadas num momento tão importante das suas vidas é crucial para pensarem em ter mais filhos. Ações deste género são de extrema importância para um futuro com mais bebés”, sublinha Ana Marques.

É tempo… de haver mais tempo para os bebés

Mariana d’Avillez destaca que uma campanha como a da Well’s passa a mensagem de que “os bebés e as crianças são importantes para o país no seu conjunto, para toda a população e não só para a família”, mas admite que “é preciso uma grande revolução em termos de horários de trabalho e apoio à família, para que os pais possam trabalhar melhor sem abrirem mão de criar os seus próprios filhos”.

A autora do livro “Mãe de Sete, o livro que não tenho tempo para escrever!” considera que é necessário seguir o exemplo dos países que já analisaram o problema da baixa natalidade para perceber que o incentivo necessário não é só em subsídios, mas sobretudo em tempo. “Mais tempo de licença, menos precariedade no trabalho dos pais, mais empresas a investirem em espaços para que as mães possam voltar ao trabalho e terem um espaço de creche perto. Estas soluções já existem em algumas empresas portuguesas e as mães que lá trabalham sentem-se mais felizes, faltam menos e são mais produtivas. São apenas alguns aspetos que devemos considerar para sermos uma sociedade mais amiga das famílias”, recomenda.

Tudo sobre esta campanha

Mostrar Esconder

Para beneficiar da oferta de nascimento Well´s, composta por seis produtos para o bebé e uma oferta especial para a mãe, quando o bebé nascer, a mãe ou o pai só têm de ir ao site futuro.wells.pt, fazer o pedido do pack e levantar as ofertas na loja Well’s mais próxima.

Ana Marques também considera necessário haver “uma maior compreensão por parte das entidades patronais para com as gestantes e maiores incentivos financeiros por parte do Estado”. A mãe da sua primeira bebé indica que também era importante haver um maior acompanhamento das mães após o nascimento dos filhos e uma maior divulgação de informação sobre tudo o que envolve a chegada de um bebé, assim como a descida dos preços de muitos produtos necessários, nomeadamente fraldas.

Ser mãe é…

Sem bebés não há futuro. E confirma-se que os bebés são o melhor do mundo?

“Ser mãe é inexplicável, é um conjunto de emoções vividas ao limite! Apesar do cansaço inerente à maternidade, ser mãe é, sem dúvida, o melhor do mundo. É viver com o coração nas mãos, é perceber que o mundo não tem sentido sem aquele Ser gerado por nós, é pintar o mundo de forma colorida e torná-lo muito especial só porque queremos ver o nosso bebé sorrir”, partilha Ana Marques que gostava de ter, pelo menos, mais um bebé.

“Adoro ser mãe, sempre sonhei ser mãe. Desde sempre que esse desejo faz parte de mim e da minha personalidade. Tenho três filhos e esse sempre foi o nosso número. Talvez gostássemos de ter mais filhos, mas não é fácil, por isso ficamos por aqui”, comenta Ana Custódio.

“Para mim ser mãe foi descobrir uma vocação e sentir uma realização pessoal que nunca imaginei possível. Mas acima de tudo tem sido um projeto de vida a dois e um trabalho intenso de equipa para ter a certeza de que, à medida que a família ia crescendo, tanto eu como o Miguel nos sentíamos confiantes de que estávamos à altura do desafio”, partilha Mariana d’Avillez. A mãe de sete filhos acrescenta que “o sonho de ter uma família grande era comum aos dois”. “E diariamente agradecemos a graça e bênção de engravidar com facilidade e de termos sete filhos saudáveis e bem-dispostos. Sinto também que é um sinal de otimismo e Fé de que vale a pena investir nesta vida e neste mundo”, partilha a autora do livro “Mãe de Sete, o livro que não tenho tempo para escrever!”.

Ana Marques, Ana Custódio e Mariana d’Avillez são três mães que, apesar de estarem em diferentes fases já abraçaram um futuro com sorrisos. E você?