A Caixa Económica Montepio Geral tem de angariar quase mil milhões em produtos de poupança da Associação Mutualista este ano, noticia o Público, um montante inscrito no Programa de Ação e Orçamento para 2018 e que preocupa o Sindicato dos Bancários do Norte pela pressão a que os funcionários estarão sujeitos para atingir este objetivo.

Um ex-funcionário que não deu o nome, por ter saído por mútuo acordo, disse ao Público que os funcionários da caixa económica, detida em 100% pela associação vão sentir pressão para propor estes investimentos aos clientes sem sublinhar que não são depósitos, ou seja, não são garantidos pelo Fundo de Garantia de Depósitos. Estes produtos são garantidos pelos capitais da mutualista, que eram negativos em 2015 (não são conhecidos os valores de 2016 e 2017).

Os funcionários têm como objetivo a renovação integral dos 370 milhões de euros no produto “Capital Certo” que vencem este ano e, além disso, obter 50 milhões por mês — o que resulta num total de 970 milhões de euros. A venda de produtos da mutualista aos balcões da caixa económica poderá tornar-se mais difícil pelo facto de o Banco de Portugal ter obrigado à “diferenciação de marcas na comercialização de produtos”, para evitar confusões entre a associação mutualista e a caixa económica, que já se transformou em sociedade anónima.