Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Um jovem soldado de 26 anos que exerce funções de segurança no Museu Militar do Porto vai responder por incumprimento dos deveres de serviço e começa a ser julgado no início de fevereiro, no tribunal de São João Novo. O caso remonta a fevereiro do ano passado, quando o militar convidou uma amiga para jantar e beber no interior da instituição, que estava já encerrada. Aos dois, juntou-se um outro soldado, que não estava de serviço, e uma outra mulher, avança o Correio da Manhã.

Consta ainda que o soldado fumou canábis no museu, antes de ir dormir com as duas mulheres na caserna. De manhã, os três foram surpreendidos pelo sargento-mor. O processo refere ainda que o arguido e as duas mulheres beberam cerveja e, pelo menos, três garrafas de vinho. No outro dia, o soldado deveria ter aberto o portão principal do Museu, tarefa que acabou por não cumprir por ter adormecido devido ao consumo de droga. O militar foi submetido ao exame de álcool e drogas e ambos deram positivo.

O arguido vai também responder por crime de insubordinação por ameaças e ofensas, porque, revoltado com uma expressão ofensiva utilizada pelo sargento-mor, quando o encontrou a dormir com as duas mulheres, terá ameaçado o superior hierárquico, dizendo “Mato-o à porrada lá fora”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR