O anúncio foi inicialmente feito nas redes sociais e começava com a frase: “E pensávamos nós que 2017 tinha sido um grande ano!” A primeira-ministra neo-zelandesa, Jacinda Ardern, fez uma publicação no Facebook onde anunciou que ela e o seu companheiro, Clarke Gayford, estão à espera de um filho que tem data de nascimento prevista para junho. “Serei primeira-ministra E mãe”, acrescentou Ardern na publicação.

And we thought 2017 was a big year! Clarke and I are really excited that in June our team will expand from two to three,…

Posted by Jacinda Ardern on Thursday, January 18, 2018

Os pormenores surgiram como prometido na manhã desta sexta-feira, quando a primeira-ministra respondeu a algumas questões dos jornalistas que se reuniram à frente da sua porta. “Não serei a primeira mulher a fazer ‘multi-task’, não serei a primeira mulher a trabalhar e a ter um bebé”, sublinhou Ardern. “Sei que estas são circunstâncias especiais, mas há muitas mulheres que fizeram isto antes de mim.” A primeira-ministra explicou que descobriu que estava grávida apenas seis dias antes de saber que iria ser a próxima chefe de Governo do país e Ardern e Gayford decidiram não tornar o facto público durante os primeiros meses da gravidez, “como muitos casais fazem”.

A primeira-ministra explicou como se processará a sua ausência, deixando claro que o seu parceiro de coligação, Winston Peters, atuará como primeiro-ministro durante as seis semanas de licença que Ardern irá tirar. “Tenciono estar contactável e disponível durante esse período quando for necessário”, explicou. Depois disso, explicou, o seu companheiro ficará em casa onde cuidará da criança nos primeiros tempos de vida.

Jacinda Ardern tornou-se primeira-ministra da Nova Zelândia em outubro. O Partido Trabalhista, sua força política, ficou em segundo lugar nas eleições de setembro mas conseguiu formar Governo graças a uma coligação com os partidos Nova Zelândia Primeiro (de Peters) e Partido Verde. Ardern tornou-se assim a primeira-ministra mais jovem do país desde 1856 e a terceira mulher chefe de Governo na história da Nova Zelândia.

A possibilidade de ficar grávida enquanto ocupava um cargo político já tinha sido levantada numa entrevista em agosto do ano passado, apenas um dia depois de ter sido eleita líder do partido. No programa de televisão The Project, noticiou o The Guardian, o entrevistador questionou-a. “É totalmente inaceitável que em 2017 se diga às mulheres que têm de responder a essa pergunta no local de trabalho. É inaceitável”, respondeu Ardern, acrescentando que a escolha de ter um filho é uma decisão da mulher e não deve ter influência sobre as suas “oportunidades de trabalho”.

A BBC relembra que Ardern será apenas a segunda mulher em toda a História moderna a ter um filho enquanto ocupa um cargo político para o qual foi eleita. A sua antecessora foi Benazir Bhutto, primeira-ministra paquistanesa, que em 1990 levou uma gravidez a termo quando ocupava o cargo de chefe de Governo.