O Presidente dos Estados Unidos acusou os democratas de pensarem nos “imigrantes ilegais” antes do exército ou da segurança das fronteiras, após o encerramento parcial do governo federal (‘shutdown’) causada pelo fracasso de um acordo para o aumento do limite de endividamento do país.

“Os democratas estão muito mais preocupados com os imigrantes ilegais do que o nosso grande exército ou a segurança em nossa fronteira perigosa do sul”, afirmou Donald Trump, numa publicação feita pouco depois das 5h00 na rede social Twitter.

Os membros do Partido Democrata “poderiam ter chegado facilmente a um acordo, mas preferiram jogar o cartão do ‘shutdown'”, referiu o chefe de Governo norte-americano.

Trump referiu, ironicamente, que no seu primeiro aniversário de Presidência os democratas quiseram dar-lhe um presente simpático e ainda que é necessário eleger mais congressistas republicanos nas eleições de 2018.

O Governo dos Estados Unidos da América iniciou às 00h00 locais o encerramento parcial dos seus serviços devido à falta de fundos para os financiar, após ter falhado a tentativa de compromisso para o aumento do limite do endividamento do Estado.

Esta paralisação parcial, apesar das intensas negociações entre republicanos e democratas e a intervenção do presidente norte-americano, coincide com o primeiro aniversário de Donald Trump na Casa Branca.

A proposta de Orçamento apresentada pelos republicanos obteve mais votos a favor (50) que contra (48), mas foram insuficientes para aprovar as verbas que exigiam o apoio de 60 senadores.

A última vez que o Governo dos Estados Unidos teve de fechar por falta de fundos foi em outubro de 2013 com Barack Obama na Casa Branca, situação que durou 16 dias.

Então, Obama mandou para casa mais de 800 mil funcionários públicos — os considerados não essenciais -, encerrou museus e parques nacionais, e cancelou tratamentos experimentais em centros federais de investigação médica.