O papa Francisco criticou este domingo a corrupção na América Latina, considerando que “a política está doente” nesta região do mundo, nomeadamente no Peru, onde celebrou uma missa à qual assistiu uma multidão.

Falando na presença dos bispos peruanos, o pontífice afirmou que, numa grande parte da América Latina, “a política está muito doente”.

“Há exceções, mas em geral, ela [a política] está mais doente que saudável”, disse o papa numa conversa informal.

Referindo-se à situação no Peru disse: “O que se passa no Peru? Quando quem deixa a Presidência metem-no na prisão”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“[Ollanta] Humala está preso, [Alejandro] Toledo está preso, [Alberto] Fujimori esteve preso até há pouco tempo, Alan Garcia parece hesitar entre ir ou não. Que se passa?”, interrogou Francisco.

Humala (2011-2016) está atualmente detido preventivamente acusado de corrupção, enquanto Toledo (2001-2006), instalado nos Estados Unidos, é acusado pela justiça de ter recebido “luvas” e é alvo de um mandato internacional de captura.

Fujimori (1990-2000) beneficiou de um indulto depois de estar a cumprir uma pena que ia até aos 25 anos de prisão, por corrupção e crimes contra a humanidade.

Garcia (2006-2011) é também alvo de uma investigação por corrupção.

Quanto ao atual Chefe de Estado, Pedro Pablo Kuczynski, evitou, recentemente, de ser destituído por suposta ligação com a construtora brasileira Odebrecht, no centro de um vasto escândalo de corrupção que tem atingido toda a América Latina.

O papa tinha já apelado na sexta-feira passada, também em Lima, a lutar contra “o vírus da corrupção”, num discurso que proferiu na presença do Presidente Kuczynski.