Terry Crew foi um dos atores norte-americanos que aproveitou o movimento #MeToo para denunciar o assédio sexual de que foi vítima por parte de outro homem. Em novembro do ano passado o ator conhecido pelos seus papéis em filmes de comédia — sendo protagonista da série “Brooklyn Nine Nine” em exibição na Fox Comedy — revelou que um administrador da agência de talentos que o representava tentou tocar-lhe nas suas partes íntimas durante uma festa em Bervely Hills (Los Angeles).

O ator Terry Crews na 49ª NAACP Image Awards, no dia 18 de janeiro, na Califórnia. (Foto de Marcus Ingram/Getty Images)

Mais tarde, Terry Crews revelou que se tratava de Adam Venit, que acabou por ser afastado da agência (WME — William Morris Endeavor) onde trabalhava, tendo o ator deixado também a empresa. Mais tarde, Venit acabou por regressar à WME, o que deixou Crews insatisfeito.

Passaram-se dois meses e o ator não esquece que a vergonha é um sentimento comum depois deste tipo de denúncias. Mas, confessou ao The Hollywood Reporter, estava preparado para “lidar com tudo sozinho, porque é também por isso que normalmente as mulheres passam”, acrescentou.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“A única maneira de me libertar disto é falar. E falar vai libertar também outras pessoas”, justificou o Terry Crews.

Na altura da revelação, em novembro, e mesmo depois de Adam Venit ter apresentado um pedido de desculpas, o ator acabou por apresentar queixa criminal contra o executivo.