Cães pisteiros poderão ser enviados ao número 160 da Rua Muir Woods, na cidade de Perris, na Califórnia. Para quê? As autoridades querem saber se David, de 57 anos, e Louise, de 49, tiveram mais filhos — além dos 13 conhecidos que acorrentaram e mantiveram subnutridos. É admitida a possibilidade de o casal Turpin ter tido um ou mais filhos que morreram e de terem escondido os corpos.

As autoridades estão a deliberar sobre a possibilidade de enviar ou não cães pisteiros, de acordo com fonte próxima da investigação ao Crime Watch Daily, um programa de jornalismo de investigação norte-americano.

A possibilidade de realizar testes de ADN, a fim de descobrir se os 13 jovens e adultos encontrados acorrentados e subnutridos são mesmo filhos de David e Louise, também está em cima da mesa, mesmo que numa fase inicial da investigação tenha sido confirmada esta informação.

[Veja aqui o vídeo com as mais recentes revelações sobre o que se passava na casa dos horrores californiana]

[jwplatform SPIVoa5l]

Sabe-se agora, depois de uma entrevista que o irmão de Louise Billy Lambert deu ao The Sunday People, que o casal Turpin tinha intenções de ter, pelo menos, mais um filho. “No mês passado, a Louise disse-me que ela e o David estavam a pensar em ter outro filho”, revelou o irmão. O objetivo? Criar um reality show com uma dimensão maior do que o “Kate Plus 8” — um programa norte-americano do canal TLC que acompanha a vida de Kate Gosselin e os seus oito filhos. Queriam “fazer milhões” e tornarem-se um “nome conhecido”.

Depois de a filha de 17 anos ter conseguido fugir e denunciado a situação às autoridades, a polícia foi à casa da família e deparou-se com um cenário perturbador: “Várias crianças acorrentadas às suas camas com correntes e cadeados, na escuridão e num ambiente com cheiros nauseabundos“. Os pais foram detidos de imediato e ficaram em prisão preventiva. Estão acusados de mais de 38 crimes, entre tortura, abusos e sequestro, e arriscam-se a ficar até 94 anos na prisão. O juíz fixou uma fiança de 12 milhões de dólares para cada um e agendou o início do julgamento, no tribunal do condado de Riverside, para o próximo dia 23 de fevereiro, às 13h30.

Até lá, a investigação continua. Já muito se sabe sobre os Turpin — a família perfeita nas redes sociais — quer através de revelações de familiares e vizinhos, quer através da polícia: os castigos podiam durar meses, as crianças não podiam ir à casa de banho e só tomavam banho uma vez por ano. Ta,bém havia brinquedos e comida na casa, mas as elas não podiam comer nem brincar. Por isso, muito também ainda falta saber.