Rádio Observador

Eurogrupo

Na estreia como presidente do Eurogrupo, Centeno elogia finanças portuguesas

182

À chegada à reunião do Eurogrupo, a sua primeira enquanto líder, Mário Centeno fez elogios em causa própria: "Vamos saudar os desenvolvimentos da economia e das finanças portuguesas", disse.

MARKUS HEINE/EPA

“Vamos ouvir seguramente palavras de grande encorajamento porque é isso que temos ouvido ultimamente. É o resultado dos números que temos apresentado. Há um sentimento muito positivo sobre a economia e as finanças públicas em Portugal. Vamos obviamente saudar, o Eurogrupo no seu conjunto, esses desenvolvimentos da economia portuguesa“. Foi assim que o ministro das Finanças de Portugal, e agora também presidente dos ministros das Finanças da zona euro, se referiu à situação portuguesa que está na agenda para a reunião do Eurogrupo desta segunda-feira — a sua primeira reunião enquanto presidente daquele organismo.

O tom foi elogioso para os “progressos” feitos em Portugal. “Há um sentimento muito positivo sobre o desempenho da economia e das finanças públicas em Portugal e isso deixa-nos satisfeitos, todos sabemos como progredir e que reformas temos de fazer para aumentar a nossa capacidade produtiva”, disse ainda aos jornalistas, nas primeiras declarações prestadas à chegada ao Eurogrupo.

A situação da Grécia também está na agenda, e sobre esse assunto Mário Centeno sublinhou o “otimismo das autoridades gregas” sobre o cumprimento do programa, defendendo que é necessário pôr “mãos à obra”. “Vamos ouvir do lado das instituições qual é o avanço e ponto da situação”, disse ainda, acrescentando que a Europa vive “um momento particularmente favorável, vivendo o seu período de maior expansão desde que existe a zona euro, com 18 trimestres consecutivos de crescimento”. Por isso, é preciso aproveitar a onda, sublinhou.

Expansão da zona euro

Mário Centeno defendeu mesmo que se deve olhar “de uma forma muito positiva e construtiva” para a expansão da zona euro, abrindo inclusive as portas à Bulgária, que deseja tornar-se o vigésimo membro. Questionado sobre a vontade manifestada pela Bulgária de em breve aderir à zona euro, Centeno disse que, “politicamente”, a sua mensagem “é muito clara”, e vai no mesmo sentido daquela já transmitida pelo presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker.

“Politicamente, é muito importante que neste momento em concreto possamos olhar para a expansão da zona euro com muito otimismo e com muita determinação. Temos naturalmente que criar condições para que isso aconteça. Há um conjunto de critérios que a Bulgária neste momento satisfaz, precisamos de fazer uma análise conjunta quando e se tal for solicitado pelas autoridades búlgaras, mas a mensagem política que eu queria deixar é que temos que olhar de uma forma muito positiva e construtiva para essa expansão, alargamento da zona euro”, declarou Mário Centeno.

É a estreia de Mário Centeno como presidente do Eurogrupo. A Grécia, Portugal e a escolha de cadeiras que ajudou a fazer de Mário Centeno presidente do Eurogrupo são os principais temas que fazem parte do caderno de encargos da primeira reunião do grupo informal de ministros das Finanças da zona euro, liderada pelo ministro das Finanças português. Durante os próximos dois anos e meio, Centeno estará à frente de um dos mais poderosos grupos na Europa.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rdinis@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)