Pelo menos 17 pessoas morreram desde setembro nas províncias angolanas do Bié, Huambo e Benguela, em consequência da época de chuvas, disse esta terça-feira o comandante da Proteção Civil e Bombeiros de Angola.

Bênção Cavila Abílio falava neste dia à imprensa, à margem do seminário sobre Gestão de Informação na Redução de Riscos e Desastres, que beneficia 52 técnicos da direção nacional e provinciais daquele órgão do Ministério do Interior de Angola.

Segundo o responsável, as mortes ocorridas naquelas províncias do centro e litoral sul do país, a partir de setembro de 2017 até à presente data “são uma grande preocupação para o Serviço de Proteção Civil e Bombeiros”.

Sobre a província de Luanda, capital do país, Bênção Cavila Abílio disse que a preocupação são os alagamentos em determinadas áreas, onde foram feitas construções nas linhas de passagem de água, impedindo o seu curso.

“Há alagamentos que têm causado sofrimento à população e nós lamentamos e fazemos fé de que as operações de desassoreamento das valas de drenagem continuem para que quando houver chuvas as águas passem normalmente e sem incomodar as pessoas”, frisou.