Um soldado japonês morreu esta segunda-feira e, pelo menos, 12 pessoas ficaram feridas devido a uma avalanche que terá sido causada por uma erupção vulcânica, em Tóquio, Japão. Os esquiadores ficaram feridos quando foram atingidos pela queda de rochas vulcânicas do Monte Kusatsu-Shirane, avança o jornal The Guardian, citando os meios de comunicação locais.

Cinco pessoas ficaram gravemente feridas, mas não estão em situação crítica, segundo os elementos de socorro. Foram ainda resgatados cinco membros das forças de defesa, que estavam a participar em manobras de treino naquela zona, alguns com ferimentos incluindo fraturas.

Veículos de socorro na estância de esqui, em Kusatsu, Gunma, depois de o vulcão ter iniciado atividade vulcânica. (AFP)

Três pessoas que estavam no local, e que foram atingidas pela avalanche, foram resgatadas, segundo fontes japonesas. Quatro pessoas ficaram feridas devido à quebra de um vidro no compartimento de um teleférico, no resort de Gunma. Cerca de 100 pessoas foram evacuadas da área.

Houve um grande estrondo e uma grande nuvem de fumo totalmente negra começou a subir. Eu não fazia ideia do que estava a acontecer”, disse um esquiador à NHK.

Outra testemunha disse que viu a “fumaça negra a subir do topo da montanha”, contando que foram avisados de que tinham de abandonar a estância de esqui dentro de 30 minutos. De acordo com a BBC, estavam ainda 78 pessoas presas numa estação, no topo da estância de esqui.

O vídeo abaixo mostra o fumo negro e a projeção de algumas rochas:

O vulcão Kusatsu-Shirane entrou em erupção esta terça-feira e a agência de meteorologia japonesa (JMA) alertou para a projeção de rochas — que podiam atingir os 2km a partir do topo da montanha. Um funcionário da JMA avisou que há risco de novas avalanches, pelo que o nível de alerta foi aumentado para 3. Há então risco de novas “pequenas erupções” e a zona está repleta de uma grande quantidade de cinzas.

Não é ainda certo que a avalanche tenha sido efetivamente causada pela atividade vulcânica, mas ocorreram quase simultaneamente, pelo que “Com base em várias medições podemos dizer que a montanha parece ter entrado em erupção, mas ainda estamos a tentar confirmar os factos no terreno”, disse uma fonte oficial da JMA.