Um sismo de magnitude 7.9 na Escala de Richter (valor preliminar, que baixou depois da primeira indicação de 8.2) a 278 quilómetros a sudoeste de Kodiak, no Alasca, com epicentro no mar a uma profundidade de 10km, gerou um alerta de tsunami na região. Não houve registo de danos materiais e o alerta foi entretanto cancelado.

De acordo com o Centro Nacional de Alerta de Tsunamis dos Estados Unidos, o alerta original abrangia áreas como a Califórnia e as costas da Colúmbia Britânica e do Alasca, com a recomendação para todos os residentes procurarem refúgio ou zonas altas para se abrigarem. “Há um extraordinário risco de vidas e propriedades”, adiantava a BBC. Depois do Havai, os avisos para Washington, Oregon e Califórnia foram entretanto cancelados.

Baseado nos relatórios preliminares do sismo, “é possível que surjam ondas de tsunami perigosas”. A Reuters disse também que a agência meteorológica do Japão acompanhou a situação mas não chegou a emitir qualquer alerta.

Recorde-se que, na passada sexta-feira, tinha existido um sismo de magnitude 6.3 a 77 quilómetros a nordeste da cidade de Loreto, no México, no mar entre os estados mexicanos da Baixa Califórnia do Sul e Sinaloa. Além disso, sentiram-se outros pequenos abalos na falha de Santo André, que atravessa de uma ponta à outra o estado da Califórnia e que delimita a parte da placa do Pacífico que fica nos Estados Unidos.

Sismo de 6.3 no Golfo da Califórnia