É um dos novos temas que faz parte de Nação Valente, o álbum que Sérgio Godinho edita na próxima sexta feira, dia 26. E “Delicado”, com música e letra de Márcia e arranjos de Nuno Rafael, é mais um que o Observador revela em primeira mão:

Em entrevista ao Observador, Sérgio Godinho disse, sobre interpretar músicas ou cantar letras de outros autores: “Apoderar-me. A palavra é mesmo certa. Esse apoderar é fazê-las minhas. Ao dar-lhes um tema, ao dar-lhes uma letra, um outro rumo mais concreto, porque uma música é sempre um bocado abstracta, pessoalizei-as inevitavelmente. Isso até me foi dito pelos compositores. Alguns dos quais me disseram: “Bolas, isto agora é uma canção tua.” Para mim isso é inevitável porque escrevo de uma maneira pessoal e também sou eu que as canto, como é evidente, e as canções tornam-se minhas. O que é engraçado é que, a certa altura, já não sinto que estou só a trabalhar com material alheio. Sinto que é também uma música minha. Absorvo muito isso. Canibalizo.”

Sérgio Godinho: “Esta nação nem sempre é valente mas temos de puxar por isso”

[a letra de “delicado”:]

“Ninguém passa a tempestade sem querer se abrigar
Ninguém nos perdeu por azar
Quem quiser pintar passados
Vai ter muito para emendar
Ninguém soube como ela sabe fazer-me ficar
Quem tenha como eu um bom par
Tem nas mãos um belo achado

Delicado
Que são hoje os amores o maior bem
Para guardar
Com cuidado
Mesmo ao longe
Que um tesouro é para manter por quem o tem

Ninguém passa um mau bocado sem ter quem culpar
Não queiras tu mesma inventar
Custos mal arquitectados
Más lembranças para cobrar
Curioso teres pensado se eu vim para ficar
Ninguém te pediu para dançar
Antes de ser bem estimado

Que indicado
Saber hoje
O valor que existe além da tua voz
Delicado
É de longe
Tu supores que sabes bem mais sobre nós

Delicado
Que são hoje os amores o maior bem
Para cuidar
Tem cuidado
Mesmo ao longe
Que um tesouro é pra manter por quem o tem”