Assédio Sexual

Denúncias contra Nassar levam direção da equipa norte-americana de ginástica a sair

Depois do escândalo com o ex-médico da seleção norte-americana de ginástica, Larry Nassar, toda a direção da equipa está de saída.

AFP/Getty Images

Autor
  • Ana Luísa Alves

Foi anunciada esta sexta-feira a saída de todos os diretores da equipa de ginástica norte-americana, na sequência do escândalo e da condenação do ex-médico da seleção, Larry Nassar. A demissão em bloco acontece horas depois de o presidente da Universidade de Michigan State se ter demitido, e apenas alguns dias depois de Larry Nassar ter sido condenado a 175 anos de prisão.

O Washington Post adianta também que na origem da saída de todos os membros da direção da equipa de ginástica norte-americana estão assuntos relacionados com o Comité Olímpico dos Estados Unidos, em resposta à crescente indignação face ao escândalo que o envolve Nassar.

O mesmo jornal avança que a organização Olímpica com base na cidade de Indianapolis, que regula a equipa nacional de ginástica, tem criticado algumas das estrelas da ginástica norte-americana e vítimas de Nassar, como Aly Raisman, por terem permitido que, com o seu silêncio durante anos, o então médico da equipa continuasse a abusar das atletas, em competições um pouco por todo o mundo.

Além de Aly Raisman, também McKayla Maroney, Jordyn Wieber, Jamie Dantzche e Simone Biles acusaram o médico de ter abusado delas sexualmente.

Estas não foram, contudo, as primeiras baixas na seleção de ginástica norte-americana. Na segunda-feira, três membros superiores do conselho resignaram aos cargos que desempenhavam.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Política

A protecção da família em Portugal

Luiz Cabral de Moncada

A família, enquanto célula principal da sociedade e berço da moral, como bem se sabe na Calábria, está mais garantida do que nunca. Nunca será esquecida pelos partidos quando no poder político.

Mar

Bruno Bobone: «do medo ao sucesso»

Gonçalo Magalhães Collaço

Não, Portugal não é uma «nação viciada no medo» - mas devia realmente ter «medo», muito «medo», do terrível condicionamento mental a que se encontra sujeito e que tudo vai devastadoramente degradando.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)