Jonathan Mendelsohn, membro trabalhista da Câmara dos Lordes, foi afastado do cargo de porta-voz do partido em matérias de Economia e Comércio International pelo líder Jeremy Corbyn. A decisão surgiu na noite de quinta-feira, depois de ser conhecido que Mendelsohn participou no jantar de caridade do Clube dos Presidentes onde o Financial Times fez uma reportagem, com uma jornalista infiltrada, revelando uma cultura de assédio sexual da maior parte dos participantes às mulheres que serviam o evento.

“Lorde Mendelsohn deixou claro que participou no jantar como presidente de uma organização de caridade que recebeu apoio no evento e que não teve qualquer conhecimento de uma after-party. Lorde Mendelsohn não testemunhou nenhum dos incidentes chocantes descritos nos relatos e condenou sem reservas esse tipo de comportamentos”, sublinhou um porta-voz do Partido Trabalhista.

O jantar de caridade (só para homens) em que as mulheres foram o alvo

Um porta-voz do líder, Jeremy Corbyn, confirmou igualmente ao The Guardian a decisão, dizendo que “os relatos deste evento são profundamente chocantes e não pode haver qualquer desculpa para justificar a participação de alguém”.

O empresário David Meller foi o primeiro participante a ser afastado de cargos públicos, demitindo-se do cargo que tinha no ministério da Educação. O secretário de Estado das Crianças e Famílias, Nadhim Zahawi, também participou no evento como convidado, mas por enquanto mantém-se no cargo.

“Clube dos Presidentes” à beira do fim depois de jantar polémico