O incêndio que deflagrou esta sexta-feira no Hospital Sejong na Coreia do Sul causou 37 mortos e cerca de 130 feridos, segundo um novo balanço das autoridades, avançado pela agência noticiosa sul-coreana, Yonhap.

Anteriormente, as autoridades locais tinham dado conta de 41 mortos, tendo esse número sido agora revisto em baixa.

O incêndio começou cerca das 07h30 locais (22h30 de quinta-feira em Lisboa) na sala de urgências do primeiro piso do edifício principal do hospital Sejong, em Miryang (sudeste do país, a cerca de 280 quilómetros da capital).

Uma fonte médica disse que há dez feridos em estado crítico, destacando que o número de mortos pode vir a aumentar.

Mais de 50 pessoas, na sua maioria pacientes, foram retiradas do hospital e da residência de idosos, que se localiza no mesmo edifício, e transferidas para quatro centros médicos próximos, indicou o chefe dos bombeiros, Choi Man-woo.

Os bombeiros demoraram cerca de uma hora e 40 minutos a apagar o fogo, que ocorreu quando perto de uma centena de pessoas se encontrava no edifício, indicaram fontes locais à agência de notícias oficial sul-coreana, Yonhap.

Ainda não são conhecidas as causas do fogo.