Lisboa

Praça da Figueira com fachada coberta de azulejos

140

Projeto de revestimento do chamado "quarteirão da Suíça", que estava na gaveta desde 2001, levantou dúvidas na DGPC, mas organismo acabou por autorizar.

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Mais sobre

A Câmara Municipal de Lisboa está a avançar com um projeto de remodelação da fachada do chamado “quarteirão da Suíça”, na Praça da Figueira, revestindo os edifícios com azulejos e alterando a fachada original. É a concretização de um projeto que estava na gaveta desde 2001, mas que contou com algumas reservas da Direção Geral do Património Cultural (DGPC), segundo conta o jornal Público, e que é aplicado ainda antes de ser conhecido o plano de requalificação para aquela zona. O organismo afeto ao ministério da Cultura, contudo, acabou por autorizar o projeto.

De acordo com o Público, o projeto do arquiteto Daciano da Costa — que teve a sua origem em 2001, com João Soares ainda à frente da autarquia — foi enviado para a DGPC em abril, que pediu um parecer à secção de Património Arquitetónico e Arqueológico (SPAA) do Conselho Nacional de Cultura. A DGPC chegou a questionar se a “alteração do revestimento de fachada do edifício (…) para novo revestimento azulejar” seria um “exemplo valorizador”, tendo em conta a “salvaguarda dos revestimentos primitivos das fachadas” prevista no Plano de Pormenor de Salvaguarda da Baixa Pombalina.

O projeto acabou por ficar congelado e os cem mil azulejos que já tinham sido comprados acabaram arrumados num armazém em Alcântara. De novo, em 2004, Carmona Rodrigues tentou retomar o projeto, mas concluiu-se que eram necessários outros azulejos, uma vez que os primeiros impediam a respiração das paredes. Mas o projeto voltou novamente à gaveta.

(Fórum Cidadania Lisboa)

Contudo, o parecer da SPAA, a que o Público teve acesso, foi positivo. Nele, a SPAA realça a “excecionalidade da proposta do mestre Daciano Costa” e sublinha as “características unitárias e significado urbanístico” da Praça da Figueira, que considera distintas das da Praça do Comércio e do Rossio. O projeto de alterar a fachada destes prédios, na sua maioria devolutos e degradados, teve assim a autorização da DGPC, necessária de acordo com o Plano de Pormenor.

A Câmara de Lisboa pretende ainda levar a cabo uma série de obras na mesma Praça inseridas no programa Uma Praça em Cada Bairro, relembra o jornal. No entanto, não é ainda conhecido o projeto final.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)