Rui Vitória disse este domingo que a ausência de Krovinovic não irá alterar a qualidade que o Benfica tem apresentado nos últimos encontros da I Liga de futebol, e frisou ainda que era inevitável fazer um encurtamento no plantel.

Na conferência de imprensa de antevisão ao encontro de segunda-feira com o Belenenses, o treinador do Benfica não se mostrou preocupado com o atleta que irá substituir o croata, que ficará sem jogar até ao final da época devido a uma rotura de ligamentos no joelho direito.

“Olho para dentro e vejo quais são as alternativas que podem dar as soluções à equipa e arranjo duas, três e quatro soluções. Fico mais triste em relação ao Krovinovic, um jovem que tem tido algum azar no Benfica. Estava a impor-se na equipa, dava-nos intensidade no último terço, com boa definição e já se falava numa ida ao Mundial, mas a vida de um jogador é mesmo assim”, começou por lamentar Rui Vitória.

Contudo, o técnico do Benfica quis mesmo especificar, apontado o nome das possíveis alternativas, começando por João Carvalho. “O João Carvalho é jogador de qualidade, que pensa mais rápido do que a maioria dos jogadores. Sabe chegar ao golo em espaços apertados e descobre caminhos com facilidade. Dá-nos agressividade e resistência. Digo o João, o Zivkovic, o Keaton Parks e o Gedson Fernandes, que tem treinado connosco”, reiterou.

Mesmo sem o médio contratado ao Rio Ave no início da temporada, Rui Vitória acredita que a sua equipa “continuará a dar seguimento ao processo de forma intensa”, mantendo a “mesma qualidade, quer nos resultados quer nas exibições”.

Quanto ao desafio diante dos ‘azuis’ do Restelo, a perspetiva é a de uma mudança no lado do adversário, reconhecendo eventuais motivações extras.

“Um jogo difícil contra uma equipa que tem bons jogadores, uma nova direção técnica e com novas ideias. Com o Silas é possível que haja novas dinâmicas, mas são batalhas atrás de batalhas. Temos que saber como o adversário se pode manifestar e pôr as nossas armas em cima. São as nossas receitas”, argumentou.

Com as saídas de Filipe Augusto, Lisandro López, Gabriel Barbosa no mercado de inverno, o técnico das ‘águias’ lembrou que era necessário reduzir o leque de jogadores.

“Entendemos que era fundamental reduzir grupos, para as expectativas subirem para toda a gente. Esses saíram para terem outro contexto competitivo. Pensariam que íamos recrutar, mas reduzimos, porque achamos que era a melhor solução. O presidente sabe muito bem quais são as minhas ideias. Está tudo escrito e estamos identificados”, terminou.

Na segunda-feira, o Benfica, terceiro classificado com 46 pontos, desloca-se ao Estádio do Restelo, em Lisboa, para defrontar, pelas 21h00, o Belenenses, 12.º com 20, numa partida referente à 20ª jornada da I Liga de futebol.