E ao centésimo jogo, Jonas falhou. Falhou mas foi decisivo. Como assim? É mesmo assim. O esquema tático e os nomes podem mudar, mas os holofotes continuam centrados no suspeito do costume. Que, 100 encontros da Liga depois, ainda tinha registos novos para fixar. Neste caso, no bom e no mau.

Jonas chegou (e passou) os 100 golos pelo Benfica. Mas conseguiu outro feito ainda maior

Pela segunda vez no total de 18 tentativas, Jonas falhou uma grande penalidade. A primeira no Campeonato, quiçá no jogo onde mais estava proibido de falhar pela margem de erro quase nula que a equipa tinha (estava empatada sem golos aos 73′). Antes, o brasileiro desperdiçara um castigo máximo na Taça, com o Rio Ave. Em paralelo, desde janeiro de 2015 que o Benfica não desperdiçava um castigo máximo (Lima, P. Ferreira).

Do mau para o bom, o Benfica voltou a marcar de livre direto muitos meses depois daquele fantástico golo de Victor Lindelöf em Alvalade que deu um passo fundamental para a conquista do tetracampeonato (1-1). E como o sueco está no Manchester United desde o início da temporada, quem foi o herói? Jonas, claro: o brasileiro transformou uma falta à entrada da área num penálti com barreira e empatou o jogo no Restelo no final dos descontos, repetindo aquilo que só tinha conseguido desde que chegou a Portugal frente ao Vizela. Ou seja, se o avançado nunca tinha falhado um penálti para a Liga, marcou no mesmo jogo o primeiro livre direto na Liga.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Com esse feito, o número 10 superou a marca de Óscar Cardozo em 2011/12, tornando-se o primeiro jogador a conseguir fazer pelo menos um golo em nove jornadas consecutivas este século e reforçando o estatuto de melhor marcador da equipa (mais de 50% do ataque) e do Campeonato frente à equipa a quem mais marca: no Restelo, leva cinco golos em três jogos; no cômputo geral, já marcou por 11 vezes ao Belenenses.

Ainda assim, à boleia do Playmakerstats, percebemos que os números do brasileiro de 33 anos são verdadeiramente assombrosos: em 100 jogos na Liga, 93 como titular, e 8.115 minutos apontou um total de 89 golos, numa média de 91 minutos por golo. E esta está a ser a primeira temporada desde que chegou à Luz em que tem mais golos marcados (24) do que jogos efetuados (20). Daí que seja tão importante para o Benfica…