Democracia

Portugal ao nível do Chile e Botsuana no Índice da Democracia mundial

Numa lista de 167 países, Portugal é o 26º no que diz respeito à qualidade da democracia. Fraca participação e pouca cultura política colocam o país ao nível da Costa Rica, Chile ou Botsuana.

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Autor
  • Miguel Santos Carrapatoso

Portugal tem uma “democracia com falhas”, pouco participada, com reduzida cultura política e ao nível de países como Costa Rica, Chile ou Botsuana. Estas são algumas das conclusões da revista The Economist, que publicou o seu mais recente Índice de Democracia, onde compara a saúde do regime de 167 países.

Num ranking que avalia critérios como a qualidade do processo eleitoral, o funcionamento do Governo e do Parlamento, a participação dos cidadãos, a cultura política e o respeito pelos direitos civis, Portugal ocupa o 26º lugar em termos mundiais, longe de países com uma democracia mais madura como Noruega, Islândia ou Suécia, os primeiros do ranking global.

Se a comparação for circunscrita à Europa Ocidental, onde foram avaliados 21 países, Portugal é apenas 16º, atrás de países como Áustria, Malta, Espanha e Itália. Só supera França, Bélgica, Chipre, Grécia e Turquia.

Apesar de registar indicadores positivos no que concerne ao funcionamento do processo eleitoral e ao respeito pelos direitos civis, Portugal tem desempenhos modestos no que diz respeito ao funcionamento do Governo e Parlamento, mas, e sobretudo, nos indicadores que avaliam o envolvimento dos cidadãos na construção do regime democrático e a literacia política.

Em 11 anos (os últimos dados apresentados são relativos a 2006), Portugal perdeu pontos no que diz respeito à qualidade democrática: em 2006, Portugal registava um resultado de 8.16; agora, apresenta um score de 7.84, numa escala de 0 a 10.

São consideradas “democracias com falhas” todas aquelas em que existem, naturalmente, eleições livres e justas, mas onde há fatores que afetam o regime democrático, como atropelos à liberdade de imprensa, fraca cultura política e baixos níveis de participação. Há ainda outras três categorias: “democracias completas”, “híbridas” e “regimes ditatoriais”.

Segundo a The Economist, entre os 167 países avaliados, existem 19 democracias completas, 57 democracias com falhas, 39 regimes híbridos e 52 ditaduras. O último lugar do ranking é ocupado pela Coreia do Norte.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Democracia

O regresso do centro vital (II) /premium

João Carlos Espada

Em Praga, na terça-feira passada, foi sublinhada a importânciasimbólica do próximo ano de 2019: o 70º aniversário da fundação da NATO e o 30º aniversário da queda do Muro de Berlim.

Democracia

Quem tem medo da independência? /premium

Paulo Trigo Pereira
118

Numa visão muitíssimo limitada de democracia, esta resume-se à regra da maioria, mas uma democracia liberal é muito mais do que isto. E dela fazem parte integrante os reguladores independentes.

Democracia

Fascista!

João Pires da Cruz
346

É verdade que não devemos dar a democracia como adquirida. Mas é bom não esquecermos que nunca houve nenhuma ditadura que não tivesse um enorme suporte popular, a começar pela nossa. 

Política

O regresso do ‘centro vital’ /premium

João Carlos Espada

Dois encontros euro-americanos recentes sublinham a importância de restabelecer a civilidade do debate, e da necessária concorrência, entre centro-direita e centro-esquerda nas democracias liberais.

Benfica

Oh meus amigos, não havia necessidade...

Pedro Coelho dos Santos

Ação gera reação. Começa-se por um pasodoble no final de um clássico, passa-se depois para um “chamem a polícia” no estádio do rival. Não pode ser. Aos dirigentes desportivos exige-se responsabilidade

Orçamento do Estado

O engodo do défice /premium

André Abrantes Amaral

Dizem que o o orçamento é prudente, mas prudente seria seguir uma política financeira capaz de impedir que o estado social colapse com a próxima crise. O resto, lamento, é mera confusão e engodo.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)