A empresa conhecida por ultrapassar, invariavelmente, as expectativas dos analistas no momento em que presta contas aos investidores, desta vez não conseguiu fazê-lo. A Apple anunciou esta quinta-feira que vendeu 77,3 milhões de iPhones no trimestre terminado em dezembro, o mais importante do ano por causa da época natalícia e porque é o primeiro após os novos lançamentos, a cada ano, tipicamente em setembro. Os analistas estavam à espera de mais.

Em comparação com o mesmo trimestre do ano passado, as vendas do iPhone — o produto mais lucrativo da empresa mais valiosa do mundo — caíram 1%. Os analistas previam, em média, mais de 80 milhões de iPhones vendidos.

A faturação total da Apple neste trimestre decisivo até superou as estimativas — 88,3 mil milhões de dólares –, mas esse elemento positivo foi contrabalançado pelo facto de a empresa indicar que no trimestre em curso as receitas ficarão entre 60 e 62 mil milhões de dólares, bem menos do que os 66 mil milhões que os analistas estavam a antecipar.

Houve outros bons indicadores, mas até esses levam a questões sobre a estratégia que tem sido seguida pela empresa nos últimos anos. O preço médio por unidade vendida foi de 796 dólares, o que superou as expectativas em cerca de 40 dólares, uma boa notícia. Mas o indicador dá a entender que o topo de gama da marca — o iPhone X — não está a vender mal mas os outros modelos não estão a ter sucesso, designadamente os modelos 8 e 8 Plus, que a Apple apresentou poucos minutos antes de mostrar pela primeira vez o iPhone X.

A empresa ouviu críticas por parte de quem não compreendeu porque é que a Apple haveria de apresentar dois modelos (mais baratos) e, poucos minutos depois, torná-los obsoletos, com o iPhone X.

Apesar de os números indicarem que o iPhone X não está a vender tão mal quanto alguns analistas temeram, os investidores vão continuar preocupados com as sucessivas notícias de que a Apple está a reduzir as encomendas de peças para esse modelo, junto dos seus fornecedores. Tim Cook, o presidente-executivo da Apple, garantiu, porém, que “não podia estar mais orgulhoso” da forma como estão a correr as vendas do iPhone X.

A empresa, no entanto, quis acabar com os rumores de que a última versão do iPhone não tinha seduzido o público, e afirmou, em comunicado, que as vendas do iPhone X “ultrapassaram as suas expectativas” no primeiro trimestre do seu ano fiscal.

“Estamos muito satisfeitos por anunciar o melhor trimestre da história da Apple”, declarou o presidente da empresa, Tim Cook, citado nesse comunicado. “O iPhone X superou as nossas expectativas e foi o nosso iPhone que mais vendeu em todas as semanas desde que saiu no início de novembro”, acrescentou, sem especificar

No trimestre, que inclui as festas de fim de ano, a Apple vendeu um pouco menos (um por cento) de iPhones que no mesmo período do ano anterior. Mas como os novos aparelhos são mais caros, o volume de negócios dos smartphones aumentou 13%, para cerca de 62 mil milhões de dólares.

Acrescentada informação com o comunicado da empresa às 23h43.