O número de mortes por cancro em 2016 foi de 27.900, mais 3% do que no ano anterior, revelou à agência Lusa o diretor do Programa Nacional para as Doenças Oncológicas.

Segundo Nuno Miranda, o cancro do pulmão foi o que mais mortes provocou, seguindo-se o carcinoma do cólon e reto, o da mama e o da próstata.

Os dados de 2016 são os mais recentes sobre esta doença e vão ser agora analisados, adiantou o oncologista.