Fidel Ángel Castro Díaz-Balart, conhecido como ‘Fidelito’, morreu esta quinta-feira. De acordo com informações da imprensa estatal cubana, o filho mais velho do falecido líder cubano era seguido há vários meses por uma equipa de médicos devido ao estado depressivo profundo em que se encontrava, mas acabaria por se suicidar na manhã desta quinta-feira. Tinha 68 anos. A mãe, primeira mulher de Fidel, foi para o exílio quando Castro tomou o poder em Cuba, mas Fidelito ficou com o pai em Havana.

Segundo se lê no site estatal Cuba Debate, o único filho do revolucionário cubano fruto da relação com a sua primeira mulher, Mirta Diaz-Balart, já tinha estado hospitalizado devido à depressão, mas estava agora a passar por um período de acompanhamento clínico em casa. Doutorado em ciências, Fidelito era atualmente assessor científico do Conselho de Estado, do governo liderado pelo tio Raul Castro, e vice-presidente da Academia das Ciências de Cuba.

O histórico líder cubano teve o primeiro filho antes de tomar o poder em Cuba, tendo-se divorciado nessa altura da primeira mulher. Mirta Diaz-Balart foi para o exílio em Miami, EUA, e tornou-se uma das figuras mais proeminentes na comunidade exilada anti-Fidel. O seu primo, Mario Diaz-Balart, também primo do agora falecido Fidel Ángel Castro Diaz-Balart, é inclusive membro do congresso norte-americano, eleito pela Florida, e um dos mais audíveis críticos do regime cubano.

De acordo com a imprensa internacional, a mãe já exilada deixou o filho visitar o pai em Havana quando assumiu o poder da ilha cubana, mas Fidel Castro não voltaria a deixar o filho regressar a Miami. Segundo relata a CNN, citando a biografia oficial, Fidelito acabaria por estudar na União Soviética e por casar com uma mulher russa. A sua formação em ciências fez com que tivesse dirigido o programa nuclear cubano, até um desentendimento com o pai ter levado ao seu afastamento.

Em 2008, quando Raul Castro substituiu o irmão no poder, Fidelito foi nomeado seu assessor científico e voltou a aparecer publicamente. Em 2015, por exemplo, Fidel Ángel foi fotografado numa festa anual do charuto, em Havana, ao lado de figuras como a modelo Naomi Campbell e a socialite Paris Hilton.