Os característicos canais de Veneza estão quase vazios. Em vez das grandes quantidades de água que seriam normais nesta altura do inverno, os canais estão quase secos e as famosas gôndolas encontram-se atracadas em lodo.

O fenómeno não é de agora — há três anos consecutivos que se repete. Contudo, desta vez foi diferente, pois não é só a situação de seca, causada pela falta de chuva, que está a provocar a alteração da paisagem na cidade italiana. A Super Lua Azul de Sangue do final de janeiro veio contribuir para maresias muito baixas que fizeram diminuir ainda mais o nível da água em alguns dos mais importantes canais de Veneza.

Depois do fenómeno da Super Lua Azul de Sangue, que provocou essas marés mais baixas do que o normal, alguns canais ficaram quase secos. De acordo com o jornal britânico The Daily Mail, o nível da água está quase 60 centímetros abaixo daquilo que seria habitual.

As maiores preocupações dos habitantes e responsáveis da cidade, nesta altura do ano, costumam ser as cheias. A água costuma transbordar os canais e transbordar pela ruas e é comum ver, por exemplo, a praça de S. Marcos com quase meio metro de água. Desde 1993 que o nível da água do mar tem aumentado três milímetros todos os anos, razão pela qual se diz que Veneza está a afundar e que é preciso tomar medidas urgentes. 

Agora, a falta de água tem causado alguns problemas, principalmente aos táxis aquáticos, que, em muitas zonas, não conseguem circular. Também as gôndolas — imagem de uma cidade em constante movimento –, encontram-se agora paradas, para desconsolo dos turistas. Para ver as imagens deste fenómeno natural, percorra a fotogaleria.

Super Lua Azul de Sangue, o fenómeno que mudou o rumo da História há cinco séculos