Nações Unidas

Angola. Cabo Verde apoia candidatura a membro permanente do Conselho de Segurança da ONU

Luís Filipe Tavares, ministro dos Negócios Estrangeiros e Comunidades de Cabo Verde, mostrou a sua posição de apoio a Angola numa candidatura a membro permanente do Conselho de Segurança da ONU.

FERNANDO ALVARADO/EPA

O ministro dos Negócios Estrangeiros e Comunidades de Cabo Verde garantiu esta terça-feira total apoio do seu país a Angola no caso de apresentação de uma candidatura a membro permanente no Conselho de Segurança das Nações Unidas. A posição foi expressa neste dia por Luís Filipe Tavares, que chegou sábado a Luanda numa visita de três dias a Angola, para o reforço da cooperação bilateral.

“Nós queremos ajudar também Angola nas suas pretensões enquanto potência africana forte, que tem missões legítimas, desde logo nas questões que têm a ver com as reformas das Nações Unidas, nomeadamente no Conselho de Segurança das Nações Unidas. Há vários pretendentes africanos para as Nações Unidas, para membro permanente, em representação da União Africana, e Cabo Verde diz isso com toda a responsabilidade, com toda a humildade, o nosso candidato é Angola”, disse o ministro na abertura das conversações entre as duas delegações.

Luís Filipe Tavares reafirmou que Cabo Verde tudo fará no quadro da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), da União Africana (UA), para que, caso Angola decida apresentar uma candidatura, “ter em Cabo Verde um aliado, um país amigo para o ajudar a conseguir este feito que será histórico”.

O chefe da diplomacia cabo-verdiana salientou ainda a presença da Angola como membro permanente no Conselho de Segurança das Nações Unidas “seria um grande ganho para Cabo Verde, para Angola, para África” e sobretudo daria uma nova projeção internacional a um país “tão importante para o continente” como é Angola.

O governante cabo-verdiano, que foi recebido neste dia em audiência pelo Presidente angolano, João Lourenço, tem agendados encontros com o ministro da Defesa, Salviano Sequeira, da Administração do Território e Reforma do Estado, Adão de Almeida, e o governador da província de Luanda, Adriano Mendes de Carvalho.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Eutanásia

Carta aos deputados do PSD sobre a eutanásia

Sofia Galvão

Os partidos não pediram um mandato aos eleitores em 2015 para alterar o statu quo no que diz respeito à eutanásia. Também por essa razão, os deputados do PSD têm a obrigação de votar contra.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

Detalhes da assinatura

Acesso ilimitado a todos os artigos do Observador, na Web e nas Apps, até três dispositivos.

E tenha acesso a

  • Assinatura - Aceda aos dados da sua assinatura
  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Inicie a sessão

Ou registe-se

Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)