Rádio Observador

Ford

Ka+ renova-se. E quer dar luta ao Sandero Stepway

Depois do Fiesta e, ao que tudo indica, também do Focus, eis que o modelo mais acessível da Ford ganha novos argumentos, com uma versão crossover. O Ka+ vai estar à venda por preços desde 11.000€.

Autor
  • Francisco António

Conhecido como uma opção particularmente acessível e capaz de se bater (no preço) com propostas como o Dacia Sandero, o Ford Ka+ renova os seus argumentos, numa actualização que contempla até a introdução de uma nova versão aventureira, idêntica à já prometida para o Fiesta, denominada Active. E que promete, por exemplo, fazer frente ao Sandero Stepway.

Adoptando a estratégia já conhecida para o Fiesta, o Ford Ka+ passa assim a estar disponível numa versão standard e numa outra, mais radical, sendo que em ambas está presente uma nova grelha frontal trapezoidal, ladeada por ópticas dianteiras que mantêm o mesmo design. Ainda que, no caso das versões mais equipadas, com luzes diurnas em LED integradas num pára-choques dianteiro também ele redesenhado. Já na traseira, um novo pára-choques, a contribuir para um visual mais refinado e elegante que até aqui.

Diferente, na estética e também na atitude, é a versão Ka+ Active, a qual chega agora ao modelo low-cost da Ford com um kit decorativo específico para a carroçaria em plástico escuro, jantes de 15″, barras cromadas no tejadilho, além de imitações em metalizado de protecções inferiores para o cárter e para a panela de escape.

O interior

No habitáculo, o destaque vai para para a consola central redesenhada, que passa a poder montar um ecrã táctil de 6,5”, parte do novo sistema de infoentretenimento SYNC 3, compatível tanto com Android Auto, como com Apple CarPlay, e abaixo do qual surgem depois alguns botões, em tudo idênticos aos existentes no Ford EcoSport.

Já no domínio das tecnologias, a inclusão do ESP (com prevenção de capotamento activa, no caso da versão Active) e do sistema de monitorização da pressão dos pneus, ambos de série, assim com do botão Start e do sistema MyKey da Ford. O qual, entre outras mais-valias, permite programar uma velocidade máxima permitida, para os casos em que o carro tenha de ser utilizado por um outro condutor.

Destaque ainda para a possibilidade de acrescentar ao equipamento de série o limpa pára-brisas aquecido QuickClear, o ar condicionado automático e o limitador de velocidade. Sendo que a Ford fez questão de disponibilizar ainda soluções como a possibilidade de abrir o portão da mala a partir do interior do habitáculo, ou sensores de chuva e de luminosidade.

Motores

O novo Ford Ka+ troca o anterior quatro cilindros por um novo tricilíndrico 1.2 Ti-VCT, cuja arquitectura deriva do já muito conhecido e bem mais potente 1.5 EcoBoost do Fiesta ST. Sendo que, embora a potência e os consumos oficiais deste novo bloco não sejam ainda conhecidos, a Ford promete desde já mais 10% de binário entre as 1.000 e as 3.000 rpm, assim como consumos mais contidos, com médias abaixo dos 5,0 l/100 km.

Novidade é também o facto de o Ka+ passar a dispor de um motor a gasóleo, o 1.5 TDCi de 95 cv e 215 Nm de binário, cujos consumos médios oficiais surgem aqui fixados nos 3,7 l/100 km. Com a marca da oval a prever que seja possível alcançar valores de emissões de 99 g/km de CO2.

Ambas as motorizações estão associadas de série a uma caixa manual de cinco relações, não estando prevista a possibilidade de virem a dispor de transmissões automáticas.

Desta renovação fazem ainda parte, no caso da versão Active, uma direcção assistida electrónica com afinação específica, maior largura das vias, barra anti-rolamento frontal maior e amortecedores revistos.

Recomendador: descubra o seu carro ideal

Não percebe nada de carros, ou quer alargar os horizontes? Com uma mão-cheia de perguntas simples, ajudamo-lo a encontrar o seu carro novo ideal.

Recomendador: descubra o seu carro idealExperimentar agora

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)