Conhecido como uma opção particularmente acessível e capaz de se bater (no preço) com propostas como o Dacia Sandero, o Ford Ka+ renova os seus argumentos, numa actualização que contempla até a introdução de uma nova versão aventureira, idêntica à já prometida para o Fiesta, denominada Active. E que promete, por exemplo, fazer frente ao Sandero Stepway.

Adoptando a estratégia já conhecida para o Fiesta, o Ford Ka+ passa assim a estar disponível numa versão standard e numa outra, mais radical, sendo que em ambas está presente uma nova grelha frontal trapezoidal, ladeada por ópticas dianteiras que mantêm o mesmo design. Ainda que, no caso das versões mais equipadas, com luzes diurnas em LED integradas num pára-choques dianteiro também ele redesenhado. Já na traseira, um novo pára-choques, a contribuir para um visual mais refinado e elegante que até aqui.

Diferente, na estética e também na atitude, é a versão Ka+ Active, a qual chega agora ao modelo low-cost da Ford com um kit decorativo específico para a carroçaria em plástico escuro, jantes de 15″, barras cromadas no tejadilho, além de imitações em metalizado de protecções inferiores para o cárter e para a panela de escape.

O interior

No habitáculo, o destaque vai para para a consola central redesenhada, que passa a poder montar um ecrã táctil de 6,5”, parte do novo sistema de infoentretenimento SYNC 3, compatível tanto com Android Auto, como com Apple CarPlay, e abaixo do qual surgem depois alguns botões, em tudo idênticos aos existentes no Ford EcoSport.

14 fotos

Já no domínio das tecnologias, a inclusão do ESP (com prevenção de capotamento activa, no caso da versão Active) e do sistema de monitorização da pressão dos pneus, ambos de série, assim com do botão Start e do sistema MyKey da Ford. O qual, entre outras mais-valias, permite programar uma velocidade máxima permitida, para os casos em que o carro tenha de ser utilizado por um outro condutor.

Destaque ainda para a possibilidade de acrescentar ao equipamento de série o limpa pára-brisas aquecido QuickClear, o ar condicionado automático e o limitador de velocidade. Sendo que a Ford fez questão de disponibilizar ainda soluções como a possibilidade de abrir o portão da mala a partir do interior do habitáculo, ou sensores de chuva e de luminosidade.

Motores

O novo Ford Ka+ troca o anterior quatro cilindros por um novo tricilíndrico 1.2 Ti-VCT, cuja arquitectura deriva do já muito conhecido e bem mais potente 1.5 EcoBoost do Fiesta ST. Sendo que, embora a potência e os consumos oficiais deste novo bloco não sejam ainda conhecidos, a Ford promete desde já mais 10% de binário entre as 1.000 e as 3.000 rpm, assim como consumos mais contidos, com médias abaixo dos 5,0 l/100 km.

Novidade é também o facto de o Ka+ passar a dispor de um motor a gasóleo, o 1.5 TDCi de 95 cv e 215 Nm de binário, cujos consumos médios oficiais surgem aqui fixados nos 3,7 l/100 km. Com a marca da oval a prever que seja possível alcançar valores de emissões de 99 g/km de CO2.

Ambas as motorizações estão associadas de série a uma caixa manual de cinco relações, não estando prevista a possibilidade de virem a dispor de transmissões automáticas.

Desta renovação fazem ainda parte, no caso da versão Active, uma direcção assistida electrónica com afinação específica, maior largura das vias, barra anti-rolamento frontal maior e amortecedores revistos.