Lifestyle

Vinde, foliões. Há 19 festas de Carnaval em Lisboa e no Porto

171

Bailes, fanfarras, cortejos e matinés. Até terça-feira, vale tudo (até os disfarces de enfermeira sexy). Reunimos as melhores festas de Carnaval em Lisboa e no Porto, assim ninguém se mascara em vão.

Os próximos dias não vão ser fáceis. Enquanto se preocupa em escolher o disfarce deste ano, reunimos as melhores festas de Carnaval em Lisboa e no Porto.

No que toca a paganismo, o Carnaval é do mais democrático que há. Manda a tradição que os foliões se mascarem, mas não veda a entrada a quem está à paisana. É conhecido pelo samba, mas compadece-se dos pés de chumbo. Em 2018, o Carnaval não mudou. Em Lisboa e no Porto, há festas que se estendem noite dentro, mas também matinés para quem gosta de se deitar a horas. Há bailes solenes para os que levam a quadra mais a peito e pontes transatlânticas que trazem um bocadinho do Brasil para aquecer o inverno europeu. O frenesim carnavalesco começa já na sexta-feira e dura a até terça. Até lá, espreite as nossas sugestões.

Carnaval Carioca

Titanic Sur Mer, Cais da Ribeira Nova, armazém B. Sexta-feira, das 23h às 4h10. Entrada: 13€ (10€ antes do dia)

Também lhe pode chamar Baile do Sacundeia e promete ser aquela festa esquentada, bem ao jeito do Carnaval brasileiro. O samba é providenciado pelo Grupo Sacundeia (daí nome alternativo para a festa) e o mínimo que se pode pedir aos convidados é que invistam na indumentária e levem o pé levezinho. O baile prossegue depois com o DJ Lucas Gloor. Não sabemos muito dele, mas parece que varre funk, pop e axé sem perder o andamento.

Queer’naval

Pequena Notável, Rua da Condessa, 12. Sábado, das 22h às 3h. Entrada livre

Este bar no centro de Lisboa prova que não é preciso ter um sambódromo para brincar ao Carnaval e sim, estamos a falar de largueza, de metros quadrados. A banda sonora deste Queer’naval parte dos êxitos de Carmen Miranda, mas sabe Deus (apesar da quadra pagã) onde poderá ir parar. Algo nos diz que só para no chão.

Carnaval à Cais do Sodré

Estúdio Time Out (Mercado da Ribeira), Avenida 24 de Julho, 481. Sábado, das 22h30 às 4h. Entrada: 15€

Este Carnaval não tem samba, mas tem funk e soul em doses generosas. Ao som dos Cais Sodré Funk Connection e do DJ Set d’A Vitória Régia, o Carnaval à Cais do Sodré evoca os tempos em que a zona ribeirinha se enchia de marinheiros a subirem pelas paredes, um cenário que se quer recriar ainda que com alguma precaução. Fardas brancas são bem-vindas, disfarces de meretrizes e proxenetas ficam ao critério de cada um.

Cais Sodré Funk Connection atuam sábado no Mercado da Ribeira © Facebook.com/caissodrefunkconnection

Carnaforró

Fábrica Braço de Prata, Rua da Fábrica de Material de Guerra, 1. Sábado, das 22h30 às 4h. Entrada: 5€

Aqui, o samba dá lugar ao forró. Quer isto dizer que os engatatões estão em vantagem, já que a segunda dança exige muito mais proximidade física do que a primeira. Nos últimos anos, o Espaço Baião tem instruído meia Lisboa sobre as subtilezas desta dança brasileira e agora está na hora de consolidar conhecimentos. Com ou sem par, o baile esta aberto.

Mascarade

Hotel Pestana Palace, Rua Jau, 54. Sábado, das 23h às 4h. Entrada: 18€

Não há volta a dar,  este é o baile mais cobiçado do Carnaval lisboeta e em parte por causa do sítio. Com um dos cenários mais luxuosos da cidade à disposição, não há como não caprichar na fatiota, até porque estar mascarado é mesmo o principal critério de admissão. Este ano, a música do Mascarade fica por conta dos DJs Jony Da Fox e Huguinho The King.

Carnaval d’Avenida

Teatro Tivoli BBVA, Avenida da Liberdade, 182-188. Sábado, das 23h30 às 04h30. Entrada: 25€

Eis a prova de que não é preciso ir muito longe para ir buscar inspiração carnavalesca, basta descer até à Avenida da Liberdade. Depois do regabofe dos anos 30 e 40, altura dos grandes bailes de Carnaval no Teatro Tivoli, o mesmo edifício retoma a tradição e abre as portas para uma festa onde ir mascarado é absolutamente obrigatório. A música é garantida por Deejay Kamala e DJ Pedritu Meneses e o bilhete, que à primeira até parece puxadote, é válido para duas pessoas e dá direito a duas caipirinhas e dois Red Bull.

Baile Barroco no Palácio

Palácio Pimenta, Campo Grande, 245. Segunda-feira, das 19h à 1h. Entrada: 5€

A segunda edição do Carnaval palaciano está aí, bem mais solene do que o resto das festarolas. A tarde começa com música barroca — Les Secrets des Roys e Opus 28 — e prossegue com modernices, tipo DJ Selecta Alice. O baile é montado no Pátio das Tílias e pode ir à confiança que a organização providencia máscaras para os convidados mais incautos.

O Palácio Pimenta abre as portas na segunda-feira para recordar o Carnaval de outros tempos © Facebook.com/museudelisboaEGEAC

Pareh de Carnaval

Galeria Zé dos Bois, Rua da Barroca, 59. Segunda-feira, das 22h às 2h. Entrada: 5€ (3€ para os mascarados)

Em pleno Bairro Alto, a ZDB dá aos foliões um programa com o toque especial da casa e dividido entre três espaços. No andar de baixo, há Ondness, DJ Problemas e Maria Reis, Peter Gabirel Duo nas escadas e Putas Bêbadas, DJ Snifferdog e Novo Major no andar de cima e até às tantas.

Tambores do Carnaval

Casa Independente, Largo do Intendente, 45. Segunda-feira, das 23h às 2h. Entrada livre

No Carnaval, como na vida, o Intendente quer-se multicultural. É caso para chamar DJ Carie e Nelson Makossa, dois batucadores danados, e mandar a casa abaixo. A festa não fica por aqui. Ao programa de sexta-feira, a gerência chamou Carnaval Arroiano, uma espécie de warm up carnavalesco, entre as 20h30 e as 2h, que arranca com concertos de Nada-Nada, Vem Veneno, Skyard, O Trance do Mimo e Simply Rockers (DJ set).

Baile Rock de Carnaval

Roterdão Club, Rua Nova do Carvalho, 28. Segunda-feira, das 23h às 4h. Entrada: 5€

Há baile para todos os gostos ou para dois, pelo menos. Na mesma noite, o mítico Roterdão divide a folia de Carnaval por duas pistas: uma virada para sucessos musicais dos anos 60, 70 e “afins”, o que quer que isso queira dizer, e outra movida a hits mais recentes. A noite é do rock ou como diriam do outro lado do Atlântico: “com o rock no pé”.

Festa de Carnaval no Sabotage

Sabotage Club, Rua de São Paulo, 16. Segunda-feira, das 23h às 6h. Entrada: 6€

Outra festa no Cais do Sodré, outra festa movida a rock. No Sabotage, o Carnaval é ao som de Nuno Rabino e Deus do Psicadélico, dois nomes artísticos para lá de promissores.

Carnaval no Village

Village Underground (Museu da Carris), Rua 1º de Maio, 103. Terça-feira, das 15h às 19h. Entrada livre.

O bicho vai pegar ali para os lados de Alcântara. No Village Undergorund, a Terça-feira de Carnaval é passada ao som dos grupos Colombina Clandestina (que no mesmo dia percorre as ruas de Alfama) e Baque do Tejo (que faz o mesmo no domingo, com partida no Príncipe Real). O programa é uma alternativa a agenda carnavalesca, quase sempre noturna, e por isso serve para levar a família. Esperam-se mais de 20 músicos nos contentores. Com tanto instrumento musical a acontecer numa só tarde, haja soltura de quadril.

Baile Monstruoso

Anjos 70, Regueirão dos Anjos, 70. Terça-feira, das 15h às 23h. Entrada: 5€

Bem, por onde começar? Talvez pelo fim. No Anjos 70, o Carnaval dura dois dias e mostra que não é preciso fazer a festa até às tantas. A matiné está armada e quem for mascarado não paga bilhete. Para animar as hostes, o Baile Monstruoso conta com Celeste Mariposa, De Los Miedos, C-Netik e Cumbadélica, ou seja, a tarde promete. No dia anterior, a festa é das mulheres, se bem que todo o ser pensante é bem-vindo. Às 19h (e até à meia-noite), abrem-se as portas para o Carnaval Feminista, uma festa de angariação de fundos para o Festival Feminista de Lisboa. A entrada custa 3€, mas se quiser dar mais qualquer coisa ninguém se chateia. O programa é, no mínimo, diversificado. Há karaoke Paula Lovely, DJ Lobotomy e DJ set Cara//vag//yo, serigrafia e tatuagens.

Baile do Leozinho

Lust Porto, Rua Conde Vizela, 89. Sexta-feira, das 23h57 às 6h. Entrada: 5€

Volta e meia, o Lust Porto tem umas noites dedicadas aos ritmos do Brasil e a próxima chega em boa hora. DJ Leozinho, o anfitrião, promete funk e sertanejo e nós esperamos que esta mistura improvável corra bem. Na segunda-feira, o mesmo local recebe a festa Porto Masquerade Carnival, a partir das 20h30. A festa tem direito a jantar e os bilhetes começam nos 8€.

Lowe Carnaval

Palácio Ateneu Comercial do Porto, Rua Passos Manuel, 44. Segunda-feira, das 20h às 6h. Entrada: a partir de 12,50€

No Porto, o Lowe Carnaval adivinha-se uma daquelas noites bem longas, primeiro porque começa com um jantar que se não é de gala vai andar muito perto disso. Além disso, vai até às seis da manhã (haja pedalada), ou seja, é festa rija. Com jantar, o programa fica por 60€. Só para a festa, os bilhetes podem chegar aos 20€, se comprados no próprio dia. A banda sonora vai começar com “brazilian sounds” e entrar noite dentro com “house comercial”. Um Carnaval, no fundo.

Carnaval!

Plano B, Rua Cândido dos Reis, 30. Segunda-feira, das 23h às 6h. Entrada livre

Ao som de Rompante, João Semedo e Kazoo Collective, o Plano B festeja o Carnaval. Tirando as serpentinas e confetis (e claro, um ou outro mascarado), o programa não difere muito das noitadas a que esta cave portuense já nos habituou. O resto já se sabe: o que acontece na lá em baixo fica lá em baixo.

Boîte Carnaval

Boîte, Rua Passos Manuel, 131. Segunda-feira, das 23h às 6h. Entrada: 5€ para mulheres e 10€ para homens

Depois de posta a máscara, convém não tirar. Pelo menos, são as indicações do Boîte. Não sabemos se a ideia é recriar uma cena kubrickiana, mas na dúvida é melhor não desobedecer, não vá o castigo ser penoso.

Suadouro Exaltado

Maus Hábitos, Rua Passos Manuel, 178, 4º andar. Segunda-feira, das 23h30 às 6h. Entrada livre

O nome diz tudo e o dia também. Em véspera de Terça-feira de Carnaval, o Maus Hábitos convida a deixar tudo na pista, sobretudo suor. O eurodance vai estar no centro do repertório e a camisa florida ganha estatuto de farda. Aprume-se.

Carnaval 2018

Gare Porto, Rua da Madeira, 182. Segunda-feira, das 23h59 às 7h. Entrada: 10€

Não é por ser Carnaval que o Gare Porto põe o house e o techno de lado. A casa mantém-se fiel aos géneros musicais e convida Tijana T, Freshkitos, LJ e João Carvalho a marcar o compasso de uma das noites mais longas da invicta.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mgoncalves@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)