Rádio Observador

Lifestyle

Vinde, foliões. Há 19 festas de Carnaval em Lisboa e no Porto

171

Bailes, fanfarras, cortejos e matinés. Até terça-feira, vale tudo (até os disfarces de enfermeira sexy). Reunimos as melhores festas de Carnaval em Lisboa e no Porto, assim ninguém se mascara em vão.

Os próximos dias não vão ser fáceis. Enquanto se preocupa em escolher o disfarce deste ano, reunimos as melhores festas de Carnaval em Lisboa e no Porto.

No que toca a paganismo, o Carnaval é do mais democrático que há. Manda a tradição que os foliões se mascarem, mas não veda a entrada a quem está à paisana. É conhecido pelo samba, mas compadece-se dos pés de chumbo. Em 2018, o Carnaval não mudou. Em Lisboa e no Porto, há festas que se estendem noite dentro, mas também matinés para quem gosta de se deitar a horas. Há bailes solenes para os que levam a quadra mais a peito e pontes transatlânticas que trazem um bocadinho do Brasil para aquecer o inverno europeu. O frenesim carnavalesco começa já na sexta-feira e dura a até terça. Até lá, espreite as nossas sugestões.

Carnaval Carioca

Titanic Sur Mer, Cais da Ribeira Nova, armazém B. Sexta-feira, das 23h às 4h10. Entrada: 13€ (10€ antes do dia)

Também lhe pode chamar Baile do Sacundeia e promete ser aquela festa esquentada, bem ao jeito do Carnaval brasileiro. O samba é providenciado pelo Grupo Sacundeia (daí nome alternativo para a festa) e o mínimo que se pode pedir aos convidados é que invistam na indumentária e levem o pé levezinho. O baile prossegue depois com o DJ Lucas Gloor. Não sabemos muito dele, mas parece que varre funk, pop e axé sem perder o andamento.

Queer’naval

Pequena Notável, Rua da Condessa, 12. Sábado, das 22h às 3h. Entrada livre

Este bar no centro de Lisboa prova que não é preciso ter um sambódromo para brincar ao Carnaval e sim, estamos a falar de largueza, de metros quadrados. A banda sonora deste Queer’naval parte dos êxitos de Carmen Miranda, mas sabe Deus (apesar da quadra pagã) onde poderá ir parar. Algo nos diz que só para no chão.

Carnaval à Cais do Sodré

Estúdio Time Out (Mercado da Ribeira), Avenida 24 de Julho, 481. Sábado, das 22h30 às 4h. Entrada: 15€

Este Carnaval não tem samba, mas tem funk e soul em doses generosas. Ao som dos Cais Sodré Funk Connection e do DJ Set d’A Vitória Régia, o Carnaval à Cais do Sodré evoca os tempos em que a zona ribeirinha se enchia de marinheiros a subirem pelas paredes, um cenário que se quer recriar ainda que com alguma precaução. Fardas brancas são bem-vindas, disfarces de meretrizes e proxenetas ficam ao critério de cada um.

Cais Sodré Funk Connection atuam sábado no Mercado da Ribeira © Facebook.com/caissodrefunkconnection

Carnaforró

Fábrica Braço de Prata, Rua da Fábrica de Material de Guerra, 1. Sábado, das 22h30 às 4h. Entrada: 5€

Aqui, o samba dá lugar ao forró. Quer isto dizer que os engatatões estão em vantagem, já que a segunda dança exige muito mais proximidade física do que a primeira. Nos últimos anos, o Espaço Baião tem instruído meia Lisboa sobre as subtilezas desta dança brasileira e agora está na hora de consolidar conhecimentos. Com ou sem par, o baile esta aberto.

Mascarade

Hotel Pestana Palace, Rua Jau, 54. Sábado, das 23h às 4h. Entrada: 18€

Não há volta a dar,  este é o baile mais cobiçado do Carnaval lisboeta e em parte por causa do sítio. Com um dos cenários mais luxuosos da cidade à disposição, não há como não caprichar na fatiota, até porque estar mascarado é mesmo o principal critério de admissão. Este ano, a música do Mascarade fica por conta dos DJs Jony Da Fox e Huguinho The King.

Carnaval d’Avenida

Teatro Tivoli BBVA, Avenida da Liberdade, 182-188. Sábado, das 23h30 às 04h30. Entrada: 25€

Eis a prova de que não é preciso ir muito longe para ir buscar inspiração carnavalesca, basta descer até à Avenida da Liberdade. Depois do regabofe dos anos 30 e 40, altura dos grandes bailes de Carnaval no Teatro Tivoli, o mesmo edifício retoma a tradição e abre as portas para uma festa onde ir mascarado é absolutamente obrigatório. A música é garantida por Deejay Kamala e DJ Pedritu Meneses e o bilhete, que à primeira até parece puxadote, é válido para duas pessoas e dá direito a duas caipirinhas e dois Red Bull.

Baile Barroco no Palácio

Palácio Pimenta, Campo Grande, 245. Segunda-feira, das 19h à 1h. Entrada: 5€

A segunda edição do Carnaval palaciano está aí, bem mais solene do que o resto das festarolas. A tarde começa com música barroca — Les Secrets des Roys e Opus 28 — e prossegue com modernices, tipo DJ Selecta Alice. O baile é montado no Pátio das Tílias e pode ir à confiança que a organização providencia máscaras para os convidados mais incautos.

O Palácio Pimenta abre as portas na segunda-feira para recordar o Carnaval de outros tempos © Facebook.com/museudelisboaEGEAC

Pareh de Carnaval

Galeria Zé dos Bois, Rua da Barroca, 59. Segunda-feira, das 22h às 2h. Entrada: 5€ (3€ para os mascarados)

Em pleno Bairro Alto, a ZDB dá aos foliões um programa com o toque especial da casa e dividido entre três espaços. No andar de baixo, há Ondness, DJ Problemas e Maria Reis, Peter Gabirel Duo nas escadas e Putas Bêbadas, DJ Snifferdog e Novo Major no andar de cima e até às tantas.

Tambores do Carnaval

Casa Independente, Largo do Intendente, 45. Segunda-feira, das 23h às 2h. Entrada livre

No Carnaval, como na vida, o Intendente quer-se multicultural. É caso para chamar DJ Carie e Nelson Makossa, dois batucadores danados, e mandar a casa abaixo. A festa não fica por aqui. Ao programa de sexta-feira, a gerência chamou Carnaval Arroiano, uma espécie de warm up carnavalesco, entre as 20h30 e as 2h, que arranca com concertos de Nada-Nada, Vem Veneno, Skyard, O Trance do Mimo e Simply Rockers (DJ set).

Baile Rock de Carnaval

Roterdão Club, Rua Nova do Carvalho, 28. Segunda-feira, das 23h às 4h. Entrada: 5€

Há baile para todos os gostos ou para dois, pelo menos. Na mesma noite, o mítico Roterdão divide a folia de Carnaval por duas pistas: uma virada para sucessos musicais dos anos 60, 70 e “afins”, o que quer que isso queira dizer, e outra movida a hits mais recentes. A noite é do rock ou como diriam do outro lado do Atlântico: “com o rock no pé”.

Festa de Carnaval no Sabotage

Sabotage Club, Rua de São Paulo, 16. Segunda-feira, das 23h às 6h. Entrada: 6€

Outra festa no Cais do Sodré, outra festa movida a rock. No Sabotage, o Carnaval é ao som de Nuno Rabino e Deus do Psicadélico, dois nomes artísticos para lá de promissores.

Carnaval no Village

Village Underground (Museu da Carris), Rua 1º de Maio, 103. Terça-feira, das 15h às 19h. Entrada livre.

O bicho vai pegar ali para os lados de Alcântara. No Village Undergorund, a Terça-feira de Carnaval é passada ao som dos grupos Colombina Clandestina (que no mesmo dia percorre as ruas de Alfama) e Baque do Tejo (que faz o mesmo no domingo, com partida no Príncipe Real). O programa é uma alternativa a agenda carnavalesca, quase sempre noturna, e por isso serve para levar a família. Esperam-se mais de 20 músicos nos contentores. Com tanto instrumento musical a acontecer numa só tarde, haja soltura de quadril.

Baile Monstruoso

Anjos 70, Regueirão dos Anjos, 70. Terça-feira, das 15h às 23h. Entrada: 5€

Bem, por onde começar? Talvez pelo fim. No Anjos 70, o Carnaval dura dois dias e mostra que não é preciso fazer a festa até às tantas. A matiné está armada e quem for mascarado não paga bilhete. Para animar as hostes, o Baile Monstruoso conta com Celeste Mariposa, De Los Miedos, C-Netik e Cumbadélica, ou seja, a tarde promete. No dia anterior, a festa é das mulheres, se bem que todo o ser pensante é bem-vindo. Às 19h (e até à meia-noite), abrem-se as portas para o Carnaval Feminista, uma festa de angariação de fundos para o Festival Feminista de Lisboa. A entrada custa 3€, mas se quiser dar mais qualquer coisa ninguém se chateia. O programa é, no mínimo, diversificado. Há karaoke Paula Lovely, DJ Lobotomy e DJ set Cara//vag//yo, serigrafia e tatuagens.

Baile do Leozinho

Lust Porto, Rua Conde Vizela, 89. Sexta-feira, das 23h57 às 6h. Entrada: 5€

Volta e meia, o Lust Porto tem umas noites dedicadas aos ritmos do Brasil e a próxima chega em boa hora. DJ Leozinho, o anfitrião, promete funk e sertanejo e nós esperamos que esta mistura improvável corra bem. Na segunda-feira, o mesmo local recebe a festa Porto Masquerade Carnival, a partir das 20h30. A festa tem direito a jantar e os bilhetes começam nos 8€.

Lowe Carnaval

Palácio Ateneu Comercial do Porto, Rua Passos Manuel, 44. Segunda-feira, das 20h às 6h. Entrada: a partir de 12,50€

No Porto, o Lowe Carnaval adivinha-se uma daquelas noites bem longas, primeiro porque começa com um jantar que se não é de gala vai andar muito perto disso. Além disso, vai até às seis da manhã (haja pedalada), ou seja, é festa rija. Com jantar, o programa fica por 60€. Só para a festa, os bilhetes podem chegar aos 20€, se comprados no próprio dia. A banda sonora vai começar com “brazilian sounds” e entrar noite dentro com “house comercial”. Um Carnaval, no fundo.

Carnaval!

Plano B, Rua Cândido dos Reis, 30. Segunda-feira, das 23h às 6h. Entrada livre

Ao som de Rompante, João Semedo e Kazoo Collective, o Plano B festeja o Carnaval. Tirando as serpentinas e confetis (e claro, um ou outro mascarado), o programa não difere muito das noitadas a que esta cave portuense já nos habituou. O resto já se sabe: o que acontece na lá em baixo fica lá em baixo.

Boîte Carnaval

Boîte, Rua Passos Manuel, 131. Segunda-feira, das 23h às 6h. Entrada: 5€ para mulheres e 10€ para homens

Depois de posta a máscara, convém não tirar. Pelo menos, são as indicações do Boîte. Não sabemos se a ideia é recriar uma cena kubrickiana, mas na dúvida é melhor não desobedecer, não vá o castigo ser penoso.

Suadouro Exaltado

Maus Hábitos, Rua Passos Manuel, 178, 4º andar. Segunda-feira, das 23h30 às 6h. Entrada livre

O nome diz tudo e o dia também. Em véspera de Terça-feira de Carnaval, o Maus Hábitos convida a deixar tudo na pista, sobretudo suor. O eurodance vai estar no centro do repertório e a camisa florida ganha estatuto de farda. Aprume-se.

Carnaval 2018

Gare Porto, Rua da Madeira, 182. Segunda-feira, das 23h59 às 7h. Entrada: 10€

Não é por ser Carnaval que o Gare Porto põe o house e o techno de lado. A casa mantém-se fiel aos géneros musicais e convida Tijana T, Freshkitos, LJ e João Carvalho a marcar o compasso de uma das noites mais longas da invicta.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mgoncalves@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)