Ténis de Mesa

Sporting faz (mais) história no ténis de mesa e apura-se para as meias-finais da Liga dos Campeões

874

Sporting conseguiu mais um feito histórico para o ténis de mesa nacional ao vencer franceses do Stella La Romagne nos quartos da Liga dos Campeões, alcançando uma inédita qualificação para as meias.

Diogo Carvalho ajudou com mais um triunfo para a passagem do Sporting às meias-finais da Liga dos Campeões de ténis de mesa

D.R. Twitter Sporting

O Sporting conseguiu esta sexta-feira mais um feito histórico para o ténis de mesa nacional, ao vencer os franceses do Stella La Romagne nos quartos de final da Liga dos Campeões. Recorde-se que os leões (ou qualquer outra equipa portuguesa) nunca tinham ultrapassado a fase de grupos da principal competição europeia de clubes da modalidade mas, e para já, garantiram uma posição entre os quatro conjuntos que discutirão o troféu.

Contando com a presença de muitos adeptos verde e brancos radicados em França, o Sporting começou o encontro com um fundamental triunfo do internacional português João Monteiro logo no primeiro jogo diante de Wei Shiao por 3-0 (com os parciais de 11-9, 11-8 e 14-12), o que deixou os leões muito perto do apuramento depois da vitória por 3-1 na primeira mão realizada no Pavilhão João Rocha. Neste caso, houve mesmo uma derrota que soube a tudo menos isso: apesar de ter perdido o segundo jogo por 3-2, com os parciais de 11-8, 4-11, 12-10, 6-11 e 4- 11, Aruna Quadri garantiu a vantagem necessária para a passagem às meias-finais da competição.

No terceiro jogo da segunda mão, Diogo Carvalho confirmou a superioridade leonina, vencendo Adrian Crisan pela margem mínima com os parciais de 11-9, 11-4 e 11-7. Com tudo resolvido, os leões prescindiram dos dois últimos encontros individuais: Aruna Quadri com Shihao Wei e João Pedro Monteiro com Brice Ollivier.

Além do Sporting, estão apurados para as meias-finais os russos do Fakel Gazprom (que estiveram no grupo da equipa verde e branca), que eliminaram os dinamarqueses do Roskilde Bordtennis BTK61; os alemães do TTF Liebherr Ochsenhausen, que inverteram a desvantagem da primeira mão com os compatriotas do FC Saarbrücken Tischtennis; e os também germânicos do Borussia Düsseldorf, que afastaram os russos do TTSC UMMC.

Depois dos bons indícios deixados nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012, onde a Seleção Nacional teve uma prestação surpreendente culminada com um quinto lugar após um encontro discutido até à negra diante da Coreia do Sul (que se sagraria vice-campeã), o ponto alto viria em 2014, com a conquista do Campeonato da Europa (no ano passado, Portugal perdeu apenas na final do Europeu com a Alemanha). Em paralelo, os melhores jogadores nacionais desta geração de ouro do ténis de mesa português, casos de Marcos Freitas, João Pedro Monteiro ou Tiago Apolónia, foram alcançados outros sucessos individuais e ao serviço dos seus clubes europeus.

Esta temporada, o Sporting, bicampeão nacional num total de 34 Campeonatos, 30 Taças de Portugal e 12 Supertaças na modalidade, apostou forte na participação europeu e, além de ter assegurado a contratação de João Pedro Monteiro (que passou pelos campeonatos alemão, italiano, russo e francês), promoveu também o regresso ao clube de Diogo Carvalho, que ocupou a vaga deixada em aberto pela saída de Diogo Chen para o estrangeiro. Aos internacionais portugueses juntam-se ainda os nigerianos Aruna Quadri (considerado o melhor jogador mundial do ano em 2014, que antes representou os açorianos do Toledos) e Bode Abiodun.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: broseiro@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)