Rádio Observador

Elétricos

8 eléctricos vistos à lupa. Qual vai mais longe?

309

Oito veículos eléctricos foram testados em condições particularmente exigentes pela Autobild. Comparados os resultados, há algumas surpresas no que respeita à autonomia e ao consumo de energia.

A publicação alemã Autobild levou a cabo um ensaio comparativo que envolveu oito veículos movidos 100% a electricidade. Ao Renault Zoe 40, o mais vendido na Europa (único continente onde é comercializado), juntaram-se o Opel Ampera-e, os VW e-Golf e e-up!, os coreanos Kia Soul e Hyundai Ioniq, o Smart Fortwo Electric Drive e um furgão, o Nissan e-NV200. A particularidade do teste pressupunha condições particularmente severas, pelos parâmetros portugueses, mas não necessariamente pelos germânicos, onde o frio, nesta altura do ano, é uma constante.

Os oito modelos eléctricos percorreram 143 km com uma temperatura exterior que rondava 5ºC, o que desde logo retira uma fatia importante da autonomia aos veículos (estimada entre 20 a 30%). Depois, como se isto não bastasse, todos os modelos tinham o ar condicionado ligado e regulado para 21ºC e como a acção tinha lugar na Alemanha, onde não há limite de velocidade na auto-estrada, percorriam 43 km do percurso a uma média de 130 km/h, muito próximo pois do limite máximo para alguns dos modelos, o que levou a que alguns não conseguissem completar o trajecto.

O trabalho dos jornalistas é interessante, mesmo se enferma de alguns erros, no mínimo, curiosos. Primeiro notam-se as ausências do Nissan Leaf, que é “só” o eléctrico mais vendido do mundo e um dos mais apetecidos no Velho Continente, Alemanha incluída, e do BMW i3, que é também um dos que mais clientes atrai, no seu país de origem e fora dele. Depois, a presença de um só furgão (apenas um e, logo, sem base de comparação) não parece fazer muito sentido. Da mesma forma que não compreendemos a opção de obrigar os dois carros mais acessíveis e pequenos entre os presentes – eminentemente para uso citadino –, a circular quase um terço do percurso com o pé do acelerador a fundo, pois a sua velocidade máxima (130 km/h) era a obrigatória no troço de auto-estrada.

Considerações à parte, o trabalho dos jornalistas germânicos revelou algumas surpresas. A primeira foi que o Opel Ampera-e, a versão europeia do Chevrolet Bolt, com a maior bateria do segmento (60 kWh) e igualmente a maior autonomia anunciada, fica aquém das expectativas. Em vez dos 520 km que promete cumprir, segundo a norma NEDC, ou 380 km com base na mais realista WLTP, o Opel ficou-se pelos 273 km, com um consumo médio muito elevado (22 kWh/100 km).

Se os valores do Ampera-e não impressionaram, tornaram-se ainda mais decepcionantes após a análise dos resultados do Renault Zoe, cuja bateria de 41 kWh lhe permitiu percorrer 244 km, com um consumo médio de 16,8 kWh/100 km. Tendo em conta que o Opel anuncia mais 120 km de autonomia segundo o NEDC e mais 80 km pelo WLTP, é no mínimo estranho que tenha revelado a capacidade de percorrer apenas mais 29 km em condições reais de utilização. Tanto mais que o preço do Opel é consideravelmente superior ao do Renault, apesar da semelhança ao nível das dimensões.

O terceiro eléctrico que vai mais longe é o VW e-Golf, cuja bateria de 35,8 kWh e um consumo médio de 17,2 kWh/100 km lhe conferem uma autonomia de 208 km nestas condições. O VW anuncia 300 km segundo o NEDC, menos 100 km do que o Zoe, e acaba por perder apenas 36 km de autonomia nas condições em que foram realizados os testes, o que não pode deixar de ser considerado um bom desempenho.

No ranking das autonomias, o seguinte foi o Hyundai Ioniq, com 192 km. A sua bateria tem apenas 28 kWh de capacidade, mas o carro coreano é o mais leve entre os primeiros classificados, o que ajuda a explicar o consumo reduzido (14,6 kWh/100 km).

Imediatamente atrás classifica-se o Kia Soul, com 167 km de autonomia e 18 kWh/100 km de consumo, seguido do Nissan e-NV200 (101 km e 23,8 kWh/100 km), Smart Fortwo Electric Drive (84 km e 21 kWh/100 km) e VW e-up! (79 km e 23,7 kWh/100 km).

Recomendador: descubra o seu carro ideal

Não percebe nada de carros, ou quer alargar os horizontes? Com uma mão-cheia de perguntas simples, ajudamo-lo a encontrar o seu carro novo ideal.

Recomendador: descubra o seu carro idealExperimentar agora

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: alavrador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)