Festival da Canção

Já são conhecidas as músicas da primeira semifinal do Festival da Canção

284

No próximo dia 18 de fevereiro terá lugar a primeira semifinal do Festival da Canção. O Observador mostra-lhe um excerto de cada uma das músicas que vai poder ouvir no domingo

Global Imagens

É já no próximo domingo que sobem ao palco do Festival da Canção, para a primeira semifinal, as 13 músicas escolhidas. O Observador mostra-lhe os 45 segundos de cada uma, revelados esta segunda-feira.

A primeira música chama-se “Só Por Ela”, foi composta por Diogo Clemente. Filho de pai fadista, começou cedo a cantar e a compor. Este ano é de estreia para Diogo Clemente no Festival da Canção, depois de ter sido convidado para compor a canção que vai ser cantada por Pedro (mais conhecido por Peu) Madureira, que desde cedo também canta nas casas de fado.

[Aqui fica o excerto da música “Só Por Ela”]

O segundo tema é “Para Te Dar Abrigo”, escrito por Fernando Tordo. A carreira musical do autor começou em 1965 com a passagens por grupos como Os Deltons ou Os Sheiks, com uma extensa discografia onde se destacam os álbuns “Anticiclone” e “Ilha do Canto”. Para interpretar esta música vai subir ao palco a cantora Anabela, que começou a cantar muito pequena e conta já com alguns prémios: A Grande Noite do Fado, em 1989 e o Festival da Canção em 1993.

[Aqui fica o excerto da música “Para Te Dar Abrigo”]

Para o terceiro tema, a compositora Francisca Cortesão escreveu “Anda Estragar-me os Planos”, que vai ser interpretado por Joana Barra Vaz. A música entrou na vida de ambas cedo: Francisca  tem desde 2006 o projeto “Minstr & The Brook Trout” e é cofundadora dos “They’re Heading West”. Joana é realizadora, argumentista e compositora. Estreou-se em 2012 com o single “Vai”.

[Aqui fica o excerto da música “Anda Estragar-me os Planos”]

A quarta música não tem título, e vai ser interpretada pelo mesmo artista que a escreveu, Henrique Janeiro. Aos 13 anos já tocava guitarra, hobbie que desenvolveu nos anos seguintes. Aos 20 anos, estreou-se com o EP “Janeiro”, gravado num estúdio que montou em sua casa. Este ano também é a primeira vez que Janeiro marca presença no Festival da Canção, depois de ter sido convidado por Salvador Sobral, vencedor da última edição do festival e do Festival Eurovisão da Canção no ano passado.

[Aqui fica o excerto da quarta música]

O quinto tema do festival, “Sem Medo”, foi composto por Jorge Palma. Aos cinco anos o compositor já tocava piano e aos oito entrou para o conservatório. O liceu foi passado entre as bandas que formou, e, mais tarde, em 1972 estreou-se com o “single The Nine Billion Names of God”. Para interpretar “Sem Medo” sobe ao palco Rui David, para quem a música surge em 2008, quando integrou o elenco de Big Band, no Casino de Espinho, enquanto músico.

[Aqui fica o excerto da música “Sem Medo”]

José Cid é o compositor e interprete de “O Som de Uma Guitarra é a Alma de um Povo”, a sexta música do festival. Conhecido pelos êxitos que ao longo dos anos foi compondo, José Cid fez parte daquela que é considerada até hoje a primeira banda de rock portuguesa, os Babies. Passou também por grupos como Conjunt Orfeão, o Trio Los Dos e Os Claves antes de fundar o Quarteto 1111 com o qual gravou os seus primeiros discos.

[Aqui fica o excerto da música “O Som de Uma Guitarra é a Alma de um Povo”]

O sétimo tema “Alvoroço”, foi composto por JP Simões e também vai ser interpretado pelo artista. Entre os estudos em Comunicação Social, Direito da Comunicação, Escrita de Argumento, História do Teatro, Saxofone, língua Árabe, ainda sobrou tempo para a música. JP Simões integrou nos anos 90 os Pop Dell’Arte, os Belle Chase Hotel e em 2007 estreou-se a solo com o disco “1970”.

[Aqui fica o excerto da música “Alvoroço”]

A oitava música chama-se “Para Sorrir Eu Não Preciso de Nada”. O compositor Júlio Resende, começou a tocar piano aos quatro anos, pouco depois entrou para o Conservatório, e participou em vários workshops com alguns mestres da música mundial no Hot Clube e na New School for Jazz and Contemporary Music. O tema que escreveu vai ser interpretado por Catarina Miranda, cujo primeiro álbum, “Navia”, é inspirado na cidade invicta, o Porto.

[Aqui fica o excerto da música “Para Sorrir Eu Não Preciso de Nada”]

A nona música chama-se “Zero a Zero” e foi composta por Luís Nunes, o artista que é mais conhecido por Walter Benjamim, na altura em que começou a editar os primeiros álbuns em Londres. Ao regressar a Portugal instalou-se no Alentejo, onde vive e construiu o estúdio que é hoje a sua principal ferramenta de trabalho. Joana Espadinha vai interpretar este nono tema e lançou em junho de 2014 o seu primeiro disco, “Avesso”.

[Aqui fica o excerto da música “Zero a Zero”]

O décimo tema a subir ao palco no próximo domingo chama-se “Eu te Amo”, escrita por Mallu Magalhães. Aos 15 anos, e aproveitando um novo instrumento de trabalho chamado internet, Mallu disponibilizou quatro temas gravados por si. Pouco depois é convidada para participar num programa de televisão, e os vídeos em que interpreta canções de Johnny Cash e de Bob Dylan transformam-na num fenómeno online. Beatriz Pessoa é quem sobe ao palco com este tema. Formada em música pela Escola Superior de Música de Lisboa, passou também pela Escola de Jazz do Hot Clube de Portugal.

[Aqui fica o excerto da música “Eu te Amo”]

Bruno Vasconcelos vai subir ao palco com o décimo primeiro tema da primeira semifinal do Festival da Canção, “Austrália”. Bruno é um músico, compositor e vocalista nos Ultraleve e nos Pinto Ferreira. Faz parte da formação ao vivo da banda portuguesa Virgem Suta. O tema que vai cantar foi composto por Nuno Rafael, músico que já colaborou com artistas como Sérgio Godinho, Susana Félix, Xutos & Pontapés, Dead Combo, Dois Mil e Oito, Virgem Suta, Quinta do Bill, João Só ou Gomo.

[Aqui fica o excerto da música “Austrália”]

A décima segunda música chama-se “A Mesma Canção”, escrita por Paulo Praçam que já pertenceu a grupos como os Turbo, Junk.i.e, os Plaza ou Amália Hoje. Há já alguns anos que é um dos guitarristas na formação de palco dos The Gift. Para cantar “A Mesma Canção” sobe a palco Maria Amaral, cujo percuso, ligado à música, é influenciado pelo pai.

[Aqui fica o excerto da música “A Mesma Canção”]

A compositora do último tema a apresentar-se no domingo é também a sua intérprete. Rita Dias compôs “Com Gosto Amigo”, o décimo terceiro tema a ser ouvido no Festival da Canção. Em 2013 juntou-se a quatro músicos portugueses, a quem chama “Os Malabaristas”, e lançou o seu primeiro álbum “Com os pés na terra”. Seguiram-se outros trabalhos, como “Choraminguice” e “A Gente Dura”.

[Aqui fica o excerto da música “Com Gosto Amigo”]

A primeira semifinal do Festival da Canção está marcada já para o próximo domingo, na RTP.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Eutanásia

A democracia não é absoluta

Mário Pinto

Depois da enunciação da da dignidade da pessoa humana, a Constituição portuguesa faz a listagem enunciativa dos "Direitos, liberdades e garantias". E começa dizendo assim: "A vida humana é inviolável"

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

Detalhes da assinatura

Acesso ilimitado a todos os artigos do Observador, na Web e nas Apps, até três dispositivos.

E tenha acesso a

  • Assinatura - Aceda aos dados da sua assinatura
  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Inicie a sessão

Ou registe-se

Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)