O presidente do Comité Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, anunciou que irá visitar a Coreia do Norte depois de terminarem os Jogos Olímpicos de Inverno, à semelhança do que irá ser feito pelo Presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in.

A notícia foi dada pelo próprio à agência Reuters, numa entrevista realizada esta segunda-feira. “Todas as partes receberam bem este convite da Coreia do Norte”, disse o responsável do COI. “Estamos a discutir qual será a data mais conveniente, a fim de poder continuar o diálogo pela via desportiva. Vamos ver quando irá isto acontecer.”

O clima de aproximação entre as duas Coreias foi visível na cerimónia de abertura, na passada sexta-feira, quando Bach e Moon se sentaram na tribuna da Gangneung Ice Arena ao lado de Kim Yo Jang, chefe de Estado de cerimónias da Coreia do Norte, e Kim Yo Jong, irmã do próprio líder norte-coreano Kim Jong Un.

“Podemos criar os símbolos, podemos mostrar que vale a pena sentarmo-nos juntos para discutir, negociar, e que daí pode vir um bom resultado”, resumiu Thomas Bach, ex-esgrimista olímpico alemão, à Reuters. A ida de Bach à Coreia do Norte é o último feito da diplomacia desportiva depois de no sábado o porta-voz do Governo da Coreia do Sul, Kim Eui-Kyeom, ter confirmado que a irmã de Kim Jong-Un convidou o Presidente sul-coreano para encontrar-se com o líder em Pyongyang.

Estes Jogos Olímpicos de Inverno ficam marcados por serem o primeira evento desportivo em que atletas das duas Coreias marcharam juntos na cerimónia de aberta e formaram uma equipa de hóquei feminina conjunta — a primeira equipa composta por elementos da Coreia do Norte e da Coreia do Sul alguma vez a participar nos Jogos.