Ao segundo dia de desfile, o sambódromo no Rio de Janeiro continuava esgotado e a vibrar de cor e ritmo ao longo de toda a avenida. Como todos os anos, as escolas de samba deram o seu melhor para serem as eleitas em mais um ano em que o Carnaval colocou a cidade brasileira no centro das atenções mundiais.

Houve lugar para tudo e todos nos corsos brasileiros deste ano, desde homenagens a atores brasileiros, como Miguel Falabella, a desfiles de musas transexuais, drag queens ou encenações mais ou menos dramáticas do quotidiano brasileiro. Este foi, aliás, o Carnaval mais politizado dos últimos anos, conforme descreve a imprensa do país que já lhe chama “o Carnaval do protesto”. Isto porque, entre a música e a diversão, houve grande destaque para ferozes ataques políticos e críticas ao ambiente social no Brasil. Apesar do tom de protesto, a festa prosseguiu e não se centrou no Rio de Janeiro: mais cidades no Brasil se multiplicaram em festejos.

O mesmo aconteceu, de variadas formas, em vários pontos do mundo. Nesta fotogaleria pode fazer uma breve viagem pelo Carnaval febril dos cariocas, mas também pelas festas enérgicas do Haiti ou de Bissau ou ainda visitar os burlescos carnavais em Espanha ou Alemanha ou um mais sofisticado e conservador nas ruas de Itália.