Elétricos

Cópia eléctrica: BMW Isetta “renasce” na China

175

Que os construtores chineses gostam de copiar as linhas dos modelos ocidentais, já sabíamos. Agora, que também o fazem com clássicos é algo 'novo' – e eléctrico, por pouco mais de 3.200€.

Autor
  • Francisco António

Depois das hoje em dia já famosas “cópias” do Land Rover Defender, Range Rover Evoque, Porsche Macan ou até mesmo Tesla Model S, os fabricantes chineses menos conhecidos parecem ter-se voltado agora para os clássicos de construtores europeus, como a BMW. Com o exemplo a vir da pouco conhecida Eagle, a qual decidiu fazer um pequeno veículo eléctrico, cujas parecenças com o italiano Isetta e o seu sucessor BMW 600 são por evidentes.

A notícia foi avançada pelo CarNewsChina.com, que aponta o Eagle EG6330K como um modelo “demasiado” parecido com o BMW 600, ainda que o modelo chinês abdique não só da porta de abertura frontal, optando antes por uns bem mais convencionais acessos laterais, como também da solução de uma só roda atrás, como acontecia no Isetta. Substituindo-a, antes, por um eixo duas rodas.

Igualmente diferente é o sistema de propulsão, com o Eagle a utilizar, única e exclusivamente, um motor eléctrico de 5,3 cv, apoiado por uma bateria de chumbo-ácido de 7,2 kWh. A velocidade máxima é de 60 km/h e a autonomia de 120 km, graças também a um peso de apenas 750 kg.

Mas se no exterior este pequeno eléctrico replica, em grande parte, as linhas do famoso Isetta, no interior a Eagle tentou conferir ao modelo uma imagem mais moderna, através da aplicação de uma série de plásticos pretos, saídas de ar generosas no tablier, controlos HVAC, um leitor MP3 e comandos simples.

Esta não é a primeira vez que a Eagle copia um fabricante automóvel alemão. Já anteriormente, a marca deu a conhecer uma cópia do Porsche Cayman que, no entanto, nunca chegou à fase de produção.

Pesquisa de carros novos

Filtre por marca, modelo, preço, potência e muitas outras caraterísticas, para encontrar o seu carro novo perfeito.

Pesquisa de carros novosExperimentar agora
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Liberdades

O medo da liberdade /premium

Paulo Tunhas

O que esta nova esquerda busca não se reduz ao desenvolvimento de um Estado tutelar. É algo que visa a perfeita eliminação da sociedade como realidade distinta do Estado. Basta ouvir Catarina Martins.

25 de Abril

Princípio da União de Interesses

Vicente Ferreira da Silva

O nosso sistema de governo promove desigualdades entre os cidadãos, elimina a responsabilidade dos titulares de cargos públicos e limita as liberdades, os deveres e os direitos fundamentais.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)