Assunção Cristas

Cristas diz que coligações pré-eleitorais com PSD foram exceção

Assunção Cristas considera que as coligações pré-eleitorais com o PSD de Passos Coelho foram "uma exceção". A presidente do CDS defende que os partidos devem "caminhar cada um por si".

MIGUEL A. LOPES/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

A presidente do CDS-PP defendeu esta quinta-feira que a coligação pré-eleitoral com o PSD nas últimas europeias e legislativas foi excecional, e que os dois partidos devem “caminhar cada um por si”, embora podendo vir a ser “parceiros no futuro”.

“Esse cenário é um cenário que era excecional, tinha uma explicação na altura. Neste momento, não se coloca, e nós entendemos que a melhor forma de contribuirmos ativamente para que haja uma alternativa do centro-direita em Portugal a esta governação das esquerdas unidas é podendo caminhar cada um por si”, afirmou Assunção Cristas.

A líder centrista falava após uma audiência com o Presidente da República para discutir o próximo quadro comunitário e o Orçamento do Estado para 2019, respondendo a uma questão sobre a decisão do CDS-PP concorrer sozinho às eleições europeias de 2019.

“Com certeza que o CDS quererá sempre manter uma boa ligação e uma boa relação com o PSD. Nós somos partidos amigos, partidos parceiros do passado e que espero possamos vir a ser partidos parceiros no futuro”, declarou.

Assunção Cristas estará no domingo no encerramento do Congresso do PSD, que começa na sexta-feira, altura em que, adianta, poderá ficar combinado um futuro encontro com o novo líder social-democrata, Rui Rio.

“Estarei no Congresso, no encerramento, e nessa altura teremos certamente oportunidade para conversar e para apalavrar conversas futuras”, afirmou.

Para a presidente do CDS-PP, a decisão de os centristas concorrerem sozinhos às europeias de 2019, opção sobre a qual Assunção Cristas falou na semana passada em Estrasburgo, “é uma questão resolvida pelo CDS há dois anos no Congresso e que de resto será reiterada neste Congresso”.

“Nós queremos ajudar e ser decisivos para que haja uma alternativa política em Portugal ao Governo das esquerdas unidas, que passa por 116 deputados do centro-direita em Portugal”, afirmou.

O CDS-PP reúne-se em Congresso em Lamego no dia 10 e 11 de março.

“As eleições europeias têm o seu espaço próprio, mas são muito importantes também na influência que podem ter nas eleições legislativas. O CDS concorreu junto com o PSD nas últimas europeias porque estávamos juntos no Governo, como de resto veio a acontecer nas legislativas de 2015”, sustentou a líder centrista.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Política

A direita em crise?

Luiz Cabral de Moncada

A perda de terreno eleitoral pela direita só significa que a esquerda assimilou o que aquela de melhor tem, o liberalismo económico e social. Está em crise? Não, já ganhou no terreno das ideias.

Política

Eleições à vista

José Couceiro da Costa

Hoje, com a velocidade da informação, o que releva são as causas, tão voláteis como as opiniões da sociedade civil. O modus operandi da política do séc. XX está morto. A ordem natural está invertida.

Jovens

É desta que fazemos valer a nossa geração?

Teresa Cunha Pinto

Esta geração vive com a barriga cheia de uma grande ilusão. De que é a geração mais informada, mais qualificada, mais viajada. É pura ilusão porque em nada se concretiza e materializa. 

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)