Cyril Ramaphosa, de 65 anos, foi eleito presidente da África do Sul apenas 16 horas após Jacob Zuma ter resignado ao cargo e depois de vários dias de resistência, avança o jornal The Guardian. 

Ramaphosa, líder do Congresso Nacional Africano (ANC, no poder desde 1994) e vice-presidente da África do Sul até quarta-feira, foi empossado pelo presidente do tribunal Constitucional sul-africano, Mogoeng Mogoeng, numa sessão extraordinária do Parlamento.

O novo Presidente da África do Sul, o quinto desde que o ANC chegou ao poder, era o único candidato à sucessão de Zuma, depois de dois partidos da oposição terem indicado que não participariam na sessão. Apesar de profundamente dividido, o ANC já se reuniu com Ramaphosa, que representa a fação moderada do partido. Entretanto, o agora presidente sul-africano foi filmado na manhã desta quinta-feira a posar com os moradores no passeio marítimo da Cidade do Cabo.

Ramaphosa, ex-ativista que lutou contra o apartheid e que se tornou num homem de negócios de sucesso, vai agora ocupar a posição de Zuma, que estava no poder desde 2009. O ex-presidente é acusado de vários crimes de corrupção e, nos últimos dias, tem sido pressionado para resignar ao cargo. Jacob Zuma, de 75 anos, acabou por anunciar a sua demissão na quarta-feira.

Jacob Zuma demite-se com “efeito imediato”

Em 2016, Ramaphosa ganhou a corrida na liderança ao ANC. Alguns dos estrategas do partido queriam que Zuma fosse afastado o mais rapidamente possível, para permitir que o ANC se reagrupasse antes da campanha para as eleições de 2019.

O presidente sul-africano terá agora de tranquilizar os investidores estrangeiros e as empresas locais e responder ao desafio de enfrentar os profundos problemas que o país atravessa. Ramaphosa disse que a África do Sul está a sair de um “período de incerteza, um período de escuridão e a enfrentar uma nova fase”.

Desde 1994 que o ANC tem obtido a maioria absoluta no Parlamento, tendo sido presidido sucessivamente por Nelson Mandela (maio de 1994 a junho de 1999), Thabo Mbeki (junho de 1999 a setembro de 2008), Kgalema Motlanthe (interino, setembro de 2008 a maio de 2009) e Jacob Zuma (maio de 2009 a fevereiro de 2018).