A professora Shanthi Viswanathan, mais conhecida pelos estudantes por “Mrs. V.”, dava uma aula de matemática, quando percebeu que alguma coisa estava errada. O alarme de incêndio já tinha tocado uma vez, provavelmente para uma simulação parecida à que tinha ocorrido noutra escola da vizinhança, mas tocar duas vezes era estranho demais. O sexto sentido disse-lhe que algo grave estava a acontecer para lá da porta da sala de aula da Escola Secundária de Marjory Stoneman Douglas, por isso decidiu agir: nenhum aluno podia sair da sala. E ninguém podia entrar, nem mesmo a polícia. Esta decisão pode ter salvo a turma do ataque levado a cabo por Nikolas de Jesus Cruz, que matou 17 pessoas num tiroteio esta quarta-feira.

Mrs. V. agiu depressa: quando o segundo alarme soou e percebeu que um tiroteio estava a acontecer na escola, ordenou que todos os estudantes se juntassem num canto de modo a que se pudessem proteger melhor de qualquer bala que entrasse na sala. Depois, distribuiu folhas de papel e organizou a turma para taparem as janelas com elas, de modo a que o atirador não pudesse ver o que se passava ou quem estava naquela sala. Mas o que Mrs. V. fez a seguir foi ainda mais corajoso: quando a equipa SWAT, de intervenção rápida, quis entrar na sala, a professora não lhes deu autorização.

[Recorde neste vídeo quem é Nikolas Cruz, o autor do tiroteio numa escola na Flórida]

[jwplatform 5H2rE3JL]

Ciente de que estava mais protegida ali dentro, Mrs. V. duvidou quando um agente bateu à porta da sala e pediu para entrar porque era um membro da equipa de intervenção rápida enviado para responder ao tiroteio naquela secundária no estado norte-americano da Flórida. A professora não deixou: podia ser qualquer pessoa a fazer-se passar por um agente de segurança. Em vez disso, respondeu: “Mandem a porta abaixo ou abram-na com uma chave. Eu não a vou abrir”.

Para a mãe de um dos alunos protegidos por Mrs. V., este comportamento “salvou a vida de muitos miúdos”: “Ela teve um pensamento rápido. E usou a inteligência”, contou Dawn Jarboe, mãe de um rapaz chamado Brian que estava no interior da sala. É que ninguém conseguiu convencer Mrs. V. a abrir a porta da sala enquanto, lá fora, 17 pessoas morriam às mãos de Nikolas Cruz, um antigo aluno de 19 anos que atacou a escola onde andou. Para a equipa SWAT conseguir entrar na sala, a polícia teve de partir as janelas e assim resgatar a professora e os estudantes.

A professora Shanthi Viswanathan é muito acarinhada pelos alunos: num site chamado “Rate My Teacher”, ela é descrita como “uma professora maravilhosa” que investe muito nos estudantes que acompanha. O tributo prossegue: “Ela ensinou-me a apreciar a matemática no mundo real. Ela importa-se com os alunos e muitas vezes fica mais tempo na escola para ajudar os estudantes com aulas de revisões. Nunca passa um dia sem ensinar e certifica-se sempre que todos compreendem a matéria. Quer que os alunos tenham sucesso e tenta o máximo que tudo corra bem”.

Correu tudo bem para Mrs. V. e para os estudantes que a acompanhavam. Todos escaparam às balas com que Nikolas Cruz matou 17 pessoas na Escola Secundária de Marjory Stoneman Douglas. Entre as vítimas está outro herói, um treinador de futebol que se pôs à frente de um grupo de alunos para os proteger das balas. Acabou por morrer no hospital.

O treinador de futebol que serviu de escudo, outros dois heróis e os alunos que morreram