Marinha

Armada deflagra engenho explosivo que deu à costa em S. Pedro de Moel

Uma equipa de mergulhadores-sapadores da Armada fez deflagrar um explosivo que deu à costa esta tarde numa praia próxima de São Pedro de Moel, encontrado por um grupo de alunos.

PAULO NOVAIS/LUSA

Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre

Uma equipa de mergulhadores-sapadores da Armada fez deflagrar esta terça-feira, pelas 21h20, numa praia próxima de São Pedro de Moel, um explosivo que deu à costa esta tarde, encontrado por um grupo de alunos, disse fonte oficial.

O comandante do porto da Nazaré, capitão-tenente Paulo Sérgio Agostinho, disse à agência Lusa, que o engenho explosivo, uma carga de sinalização, maioritariamente constituída por fósforo, é usual na navegação, e vai ser agora identificada a sua origem, a partir do número de série registado.

O engenho foi encontrado pelas 15h00 na praia Old Beach, a sul da praia das Pedras Negras, em S. Pedro de Moel, a 25 quilómetros da Nazaré, por um grupo de alunos acompanhado pela professora, que realizava uma atividade escolar.

O grupo escolar contactou as autoridades, tendo sido “de imediato enviado” um elemento da Polícia Marítima.

Estabelecido um perímetro de segurança, foi efetuada a deflagração controlada e limpo o local tendo a operação sido dada por terminada pelas 21h45.

“Toda a zona está segura para passeios e utilização pelos pescadores e veraneantes”, disse à Lusa o capitão-tenente.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Winston Churchill

A arrogância da ignorância /premium

João Carlos Espada

Como devemos interpretar que um dirigente do segundo maior partido britânico venha dizer em público que o líder do mundo livre durante a II Guerra, Winston Churchill, foi um “vilão”?

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)