Assunção Cristas sublinhou esta quarta-feira em Madrid que a sua formação política tem uma postura “positiva e construtiva” para discutir pactos de regimes ou reformas estruturais com outros partidos.

“Nós temos tido uma postura sempre positiva, sempre construtiva e sempre colocando em cima da mesa aquilo que entendemos serem áreas relevantes para haver convergência entre os partidos”, disse Assunção Cristas à agência Lusa à entrada de uma reunião de líderes da União Democrática Internacional.

A líder centrista referia-se à aproximação do PSD ao PS para a realização de reformas estruturais ou pactos de regime, nomeadamente nas áreas da descentralização e do futuro orçamento comunitário.

Na terça-feira, o primeiro-ministro, António Costa, e o presidente do PSD, Rui Rio, tiveram um primeiro encontro no qual decidiram iniciar o diálogo sobre os dois temas. O PSD já indicou os seus interlocutores com o Governo: Álvaro Amaro (descentralização) e Castro Almeida (próximo quadro comunitário).

“Posso dizer que em matéria de fundos comunitários o CDS é o único partido que já apresentou no parlamento um projeto extenso de resolução sobre áreas importantes e preocupações a sinalizar nessa área”, sublinhou Assunção Cristas. A presidente do CDS avançou que haverá “oportunidade de discutir no parlamento” as ideias do partido nessa e noutras áreas.