Depois de se reunir com o primeiro-ministro, António Costa, e de até já ter nomeado interlocutores para negociarem com o PS e o Governo os dossiês da descentralização e dos fundos comunitários, Rui Rio marcou finalmente um almoço com a presidente do CDS, Assunção Cristas. O encontro vai ser na sede do CDS, mas só daqui a mais de uma semana: dia 1 de março.

“No seguimento de um pedido de audiência feito pelo presidente do PSD à presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, os dois líderes partidários agendaram uma reunião já para o próximo dia 1 de março, pelas 12h45, que terá lugar na sede do CDS-PP e que incluirá almoço”, lê-se na nota divulgada pelo gabinete de Rui Rio.

O encontro acontece depois de o novo líder do PSD já se ter encontrado com António Costa, na residência oficial do primeiro-ministro, e de já ter encabeçado a delegação do PSD que foi recebida em Belém pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. Em Belém, Rio mostrou desde logo total disponibilidade para entrar em diálogo com “todos os partidos”, deixando claro que esse diálogo não seria apenas “entre os dois maiores partidos”. E disse que, além de Costa, também se iria encontrar com outros líderes partidários, nomeadamente com Assunção Cristas. Só  não disse quando — o convite, sabe o Observador, ainda nem tinha sido feiro.

Duas horas e meia a sós: Rio vai nomear interlocutores para negociar descentralização e fundos comunitários com PS

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Certo é que, no dia seguinte a ter ido a Belém, Rio foi a São Bento dialogar com o primeiro-ministro (que é também secretário-geral do PS) e saiu de lá com via aberta para dois acordos: um sobre a descentralização, outro sobre os fundos comunitários do Portugal 2030. A ideia era o PSD nomear dois interlocutores para dialogarem com o PS/Governo sobre estas duas matérias, e foi o que Rui Rio fez na reunião da comissão política nacional, na tarde de ontem: Álvaro Amaro vai ser o coordenador do PSD para a área da descentralização, e o vice-presidente Castro Almeida o coordenador para a área dos fundos comunitários.

Para segundo plano ficou assim o CDS, com quem Rui Rio se vai reunir apenas de esta quinta-feira a uma semana. O CDS, de resto, vai ter congresso nos próximos dias 10 e 11 de março, sendo o primeiro congresso do CDS desde que Assunção Cristas sucedeu a Paulo Portas como líder do partido.