Rádio Observador

Ford

Renovado Ford Edge na Europa com diesel biturbo

Desvendado já este ano nos EUA, o renovado Ford Edge apresenta-se agora à Europa. Propõe não só uma nova versão ST-Line, mais desportiva, mas também um inovador diesel EcoBlue biturbo de 238 cv.

Autor
  • Francisco António

Apresentado como “o SUV tecnologicamente mais avançado de sempre”, o agora renovado Ford Edge acaba de ser anunciado aos condutores europeus, prometendo um maior número de versões, mais equipamento e tecnologia, além de uma renovada oferta em termos de motores. Argumentos que o modelo americano promete apresentar, in loco e pela primeira vez, já no próximo Salão de Genebra, a que se seguirá o início da comercialização, na segunda metade do ano.

Começando pelo aspecto mais visível, ou seja, as linhas exteriores, o Edge europeu exibe, basicamente, as mesmas alterações do seu “irmão” americano, a começar num grelha frontal de maiores dimensões e cujo acabamento varia consoante a versão escolhida, luzes dianteiras e traseiras em LED em todas as versões, além de luzes diurnas, que opcionalmente podem ser em LED.

Proposto em quatro níveis de equipamento – Vignale, o mais sofisticado; Titanium, o mais elegante; Trend, o mais básico; além da novidade ST Line -, é de destacar neste último, mais desportivo, a presença de elementos como as jantes de 20 ou 21″ (estas últimas, opcionais), ambas em alumínio e pintadas, além de uma dupla saída de escape com ponteiras cromadas. Sendo que, no interior, a diferenciação é feita através de bancos específicos e parcialmente revestidos a couro, além de com 10 regulações eléctricas; volante e punho da caixa de velocidades revestidos a couro perfurado; pedais em alumínio; forro do tejadilho em preto; e tapetes premium.

Aposta na segurança e ajuda à condução

Já no domínio do equipamento, a presença do sistema SYNC 3 com ecrã táctil de 8”, a proporcionar tecnologia em movimento, estando igualmente disponíveis um sistema áudio B&O PLAY Premium de 1000 watts e carregamento sem fios de telemóveis.

Mas o que mais se evidencia é a aposta em tecnologias de segurança, com o renovado Edge a estrear três novos sistemas de apoio à condução: travagem pós-colisão, assistente de manobras evasivas, e controlo de velocidade de cruzeiro adaptativo com stop-and-go e assistente de centragem na faixa. Soluções a que se juntam depois os faróis dianteiros adaptativos, informação do ângulo-morto, limitador de velocidade inteligente, alerta de manutenção na faixa, assistente de pré-colisão com detecção de peões e reconhecimento de sinais de trânsito. Sem esquecer outras tecnologias como a direcção adaptativa Ford e funcionalidades como a assistência activa ao estacionamento.

Novos diesel com vários níveis de potência

Quanto a motores, o Ford Edge continuará a ser disponibilizado apenas com um 2,0 litros diesel, mas a partir de agora da nova família EcoBlue. A qual, introduzindo um novo sistema de sobrealimentação biturbo que, segundo o fabricante, não só optimiza o binário a baixas rotações, como eleva o requinte de funcionamento e a economia de combustível, propõe este 2,0 litros com três níveis de potência: 150, 190 e 238 cv (versão de 150 cv, disponível apenas nos mercados de volante à direita).

As outras duas versões, à partida, estarão ambas disponíveis em Portugal e surgem combinadas, de série, tanto com caixa manual de seis velocidades, como com tracção integral.

Referência ainda para a disponibilização, com este restyling, de uma nova caixa automática de oito velocidades, concebida para optimizar a economia de combustível e proporcionar uma elevada capacidade de resposta, com passagens suaves e rápidas.

Recomendador: descubra o seu carro ideal

Não percebe nada de carros, ou quer alargar os horizontes? Com uma mão-cheia de perguntas simples, ajudamo-lo a encontrar o seu carro novo ideal.

Recomendador: descubra o seu carro idealExperimentar agora

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)