Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O Museu do Teatro Romano, em Lisboa, vai receber, no dia 9 de abril, um colóquio sobre tragédia e comédia grega. A iniciativa, intitulada “Falar sobre teatro antigo no Museu do Teatro Romano”, surge de uma parceria entre o Centro de Estudos Clássicos da Universidade de Lisboa e o museu lisboeta e tem como objetivo “dar a conhecer ao grande público a ousadia dos tragediógrafos e dos comediógrafos da Antiguidade, que (re)criaram mitos e paradigmas de comportamento ético e social”, refere a informação enviada ao Observador pela EGEAC.

Com comissão científica de Ana Alexandra Alves de Sousa, Maria do Céu Fialho e Rodrigo Furtado, o colóquio irá juntar sete classicistas das universidades de Lisboa e Coimbra que, ao longo do dia, irão discutir várias problemáticas relacionadas sobretudo com os três grandes nomes da tragédia grega — Ésquilo, Sófocles e Eurípedes. Algumas comunicações irão debruçar-se sobre a comédia grega, nomeadamente sobre peças dos dramaturgos Aristófanes e Menandro, e uma primeira apresentação dirá respeito a aspectos de encenação e arquitectura do teatro antigo, explorando o caso específico do teatro romano de Lisboa. A moderação estará a cargo dos professores Abel Pena, da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, e Rodrigo Furtado, diretor do Centro de Estudos Clássicos da Universidade de Lisboa.

O evento irá decorrer entre as 10h e 17h30 e terá entrada gratuita, como de resto costuma acontecer com outras iniciativas (palestras e concertos) do Museu do Teatro Romano. É, porém, necessário reservar o lugar previamente, através do endereço de email mariateles@egeac.pt ou do número de telefone 215 818 530. O programa completo de “Falar sobre teatro antigo no Museu do Teatro Romano” é o seguinte:

10h-10h15: Abertura do colóquio
10h15-10h45: “O Teatro Antigo: aspectos de encenação e arquitectura e o caso do teatro romano de Lisboa” (Lídia Fernandes, coordenadora do Museu do Teatro Romano)
11h-11h30: “Eurípides, ‘o mais trágico dos poetas’” (Sofia Frade, UL/CEC)
11h30-12h: “Eurípides e a expressão do feminino” (Ana Alexandra Alves de Sousa, UL/CEC)
12h-12h15: Debate moderado por Rodrigo Furtado, director do CEC/UL
12h15-14h30: Intervalo para almoço
14h30-15h: “Ésquilo ou a tragédia cósmica” (José Pedro Serra, UL/CEC)
15h-15h30: “Sófocles, o poeta da cegueira trágica” (Maria do Céu Fialho, UC/CECH)
15h30: Debate moderado por Abel Pena, da UL/CEC
15h45: Pausa para café
16h-16h30: “Comédia Grega” (Francisco de Oliveira, UC/CECH)
16h30-17h: “A encenação da comédia grega: A Paz e o Misantropo” (Silvina Pereira, UL/CEC)
17h-17h15: Debate moderado por Abel Pena
17h30: Encerramento

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O Museu do Teatro Romano de Lisboa, localizado junto à Sé, é um espaço que pretende dar a conhecer o teatro originalmente construído naquela zona na época do Imperador Augusto (63 a.C.-14 d.C.) e reconstruído, mais tarde, em 57 d.C., no tempo de Nero. Abandonado no séc. IV d.C., o teatro permaneceu soterrado até 1798, ano em que as ruínas foram descobertas durante a reconstrução de Lisboa depois do Terramoto de 1775. Contudo, foi só no século XIX que o teatro romano de Lisboa foi alvo de verdadeiras campanhas arqueológicas, ao longo das quais foram recuperadas parte das bancadas, da orquestra, da boca de cena e do palco, assim como um conjunto de elementos arqueológicos e decorativos. O espaço foi classificado como imóvel de interesse público em 1967.

O espaço museológico está aberto de terça a domingo, entre as 10h e as 18h. A entrada custa 3 euros, mas há descontos para estudantes ou pessoas com idade igual ou superior a 65 anos. Aos domingos e feriados, é gratuita até às 14h.

Artigo atualizado às 19h55