Bitcoin

O homem que diz ter criado a bitcoin foi alvo de processo

Craig Wright alega que é o criador da bitcoin, mas nunca o provou. Agora está a ser processado pela família do antigo sócio por lhe ter roubado um milhão de bitcoins quando este morreu.

Craig Wright era completamente desconhecido até 2015

O australiano que se auto-proclamou o criador da bitcoin foi processado. Craig Wright é o alvo de uma ação legal no valor de mais de 10 mil milhões de dólares – interposta pela família do antigo sócio. Craig Wright e Dave Kleiman geraram bitcoins juntos durante vários anos até 2013, o ano em que Kleiman morreu. Agora a família do parceiro de negócios de Wright acusa-o de “montar um esquema para agarrar as bitcoins” de Dave Kleiman.

O processo não dá como garantido o facto de que Wright e Kleiman criaram a criptomoeda. Ainda assim, considera inegável que ambos “estavam envolvidos com a bitcoin desde o seu início e acumularam uma vasta fortuna desde 2009 até 2013″.

Ira Kleiman, o irmão de Dave, é o representante do património do norte-americano e o principal responsável pela acusação. Ao The Guardian, Ira admite que não sabe ao certo o montante que Craig Wright poderá ter conseguido roubar ao antigo sócio: pensa que deve rondar um milhão de bitcoins. Quando deu entrada ao processo há duas semanas, num tribunal da Flórida, explicou que “ninguém na família tinha noção do envolvimento dele na criação da bitcoin”.

O Craig montou um esquema contra o património do Dave para agarrar as bitcoins dele e os direitos que tinha de certas propriedades intelectuais associadas à tecnologia da bitcoin”, pode ler-se na acusação.

De acordo com a família de Dave Kleiman, Craig Wright utilizou documentos falsificados para provar que o programador lhe tinha transferido todos os direitos de uma empresa que ambos tinham fundado. Agora, o irmão Ira está a tentar averiguar o valor total da bitcoin gerada pelos dois sócios e a propriedade intelectual utilizada por Wright desde que Kleiman morreu. O montante total pode chegar aos 5 mil milhões de dólares.

Craig Wright, um australiano de 47 anos, era completamente desconhecido até 2015. Nesse ano, foi investigado pelas Finanças da Austrália sobre o seu envolvimento com a bitcoin, o que levou à especulação de que poderia ser Satoshi Nakamoto, o pseudónimo utilizado pelo criador da criptomoeda.

Um ano depois, decidiu aparecer em público a afirmar que era, de facto, Satoshi Nakamoto. Os especialistas na matéria levantaram dúvidas e Craig Wright prometeu apresentar provas. Dias depois, desistiu de o fazer por “não ter coragem”. Continua a ser uma figura pública no mundo da bitcoin e nunca provou se é ou não o “pai da criptomoeda”.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Finanças

Um bitcoin por uma incrível taça de chá /premium

José Miguel Pinto dos Santos
626

Qual é o valor de um bitcoin? Uma barra de ouro, uma casa ou um quadro de Picasso? É exatamente igual àquilo que nós, os homens, na nossa inconstância e vaidade lhe queiramos dar. Nem mais, nem menos.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)