Alojamento Local

Registos de alojamentos locais passaram de 28 mil em 2015 para atuais 59 mil

Desde 2015, abriram mais de 30 mil alojamentos locais em Portugal. Nesse ano, estavam registados 28 mil estabelecimentos - atualmente, existem 59 mil.

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

A secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, informou esta quinta-feira que os registos de alojamento local são atualmente 59 mil, quando em dezembro de 2015 eram 28 mil.

Numa intervenção acerca do Programa Simplex +, na Bolsa de Turismo de Lisboa, a decorrer até domingo, a governante referiu a preocupação que houve em integrar os locais que “estavam fora do mercado formal”, pelo que avançou a obrigação legal de as plataformas digitais terem o registo formal. Assim, o número de registos evoluiu de 28 mil locais de alojamento local para 59 mil “neste momento”, informou a secretária de Estado.

Ana Mendes Godinho recordou ainda que foi simplificada a transferência de uso de um edifício para hotel, assim como foi criado um mecanismo de informação prévia em solo rústico, com uma diminuição de prazos. Foi ainda simplificado o processo da utilidade turística, já que “antes havia o pedido de 10 documentos que a administração pública já tinha acesso por outras vias”. Com essa alteração houve um “aumento em 60% dos processos decididos”, acrescentou.

Em termos de empresas de animação, o número “aumentou 160%” e mil empresas turísticas recorreram, nos últimos dois anos, a apoios do Turismo de Portugal, concluiu a secretária de Estado.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Administração Pública

A (Des)orientação ao Cidadão

Carlos Hernandez Jerónimo

Não basta produzir plataformas e sistemas mesmo que em co-criação com o cidadão, que apenas ligam dois pontos em linha reta e que ao mínimo desvio empurram o cidadão para o balcão e a fila de espera. 

Paris

A morte das catedrais

António Pedro Barreiro

A separação forçada entre a beleza e a Fé é lesiva para ambas as partes. O incêndio em Notre-Dame recorda-nos isso. Recorda-nos que as catedrais não são montes de pedras.

Páscoa

O testamento de Jesus Cristo /premium

P. Gonçalo Portocarrero de Almada

Deixo à Igreja o meu coração (...) que é fonte inesgotável de perdão e graça para quantos, absolvidos dos seus pecados pelo sacramento da penitência, me recebem no santíssimo sacramento da Eucaristia.

Paris

A morte das catedrais

António Pedro Barreiro

A separação forçada entre a beleza e a Fé é lesiva para ambas as partes. O incêndio em Notre-Dame recorda-nos isso. Recorda-nos que as catedrais não são montes de pedras.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)